Diversidade compartilhada

20/05/2015

Em Minas Gerais é possível encontrar diferentes hábitos e costumes que ajudam a construir um verdadeiro mosaico cultural. Essa diversidade também está presente nas salas de aula. Apenas na rede estadual de ensino estão matriculados, aproximadamente, 3.400 alunos indígenas. Esses estudantes pertencem às etnias Kaxixó, Krenak, Maxakali, Pataxó, Pankararu, Xacriabá e Xucuru-Kariri e estão em 17 escolas estaduais indígenas localizadas em sete municípios.

Parte desses alunos está no município de Itapecerica, no Oeste de Minas. Lá vive a comunidade Muã-Miamatxi, da etnia Pataxó. Com cerca de 40 habitantes, a comunidade conta com a Escola Estadual Indígena Pataxó Muã Miamatxi. Além do trabalho das práticas pedagógicas, comum a qualquer escola, educadores e alunos dessa comunidade investem em atividades de intercâmbio cultural.

Alunos da Escola Muncipal São Geraldo em visita à comunidade Pataxó Muã Miamatxi. Crédito: Arquivo EM São Geraldo

Durante o ano, a escola recebe visita de estudantes e professores da região e aproveitam a oportunidade para apresentar sua cultura e conhecer os costumes dos visitantes. “Muitas pessoas têm a ideia do índio de antigamente, mais fechado em si mesmo. Nós procuramos trabalhar com a ideia do índio contemporâneo, um índio que procura reafirmar suas raízes, mas que está aberto a conhecer outras culturas”, explica o diretor e professor da escola, Siwê Pataxó.

Nas visitas, alunos e professores de outras escolas aprendem sobre os hábitos e costumes dos Muã-Miamatxi, como a produção de colares e pulseiras a partir de sementes e o Kixex, fogueira que representa um espaço sagrado para a comunidade. “Apresentamos o nosso canto, a nossa dança, a nossa língua, o Pataxoop, as brincadeiras das crianças e como ocorre o nosso manejo com a terra”, lembra o diretor.

No município de Itapecerica esta a Escola Estadual Indígena Pataxó Muã Miamatxi. Crédito: Arquivo EM São Geraldo

No início deste mês, cerca de 130 alunos da Escola Municipal São Geraldo, de Divinópolis, aprenderam sobre a diversidade cultural a partir de uma visita à comunidade indígena. “Surgiu o desejo dos alunos do quarto ano de visitarem uma comunidade indígena. Eles estão trabalhando com a história do Brasil e tiveram a curiosidade de debater a questão do patrimônio imaterial e a oportunidade de conhecer essa comunidade”, conta a diretora pedagógica da escola, Marlandes Rodrigues.

O trabalho desenvolvido com os alunos faz parte do projeto ‘Minha cidade lê – Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais’, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação de Divinópolis. A iniciativa está em sua sexta edição e conta com outras atividades. No mês de agosto, a escola realizará uma Mostra e, desta vez, receberá representantes da comunidade Pataxó Muã Miamatxi. Na ocasião, os indígenas falarão sobre sua cultura para a comunidade escolar.

Município: Itapecerica / Superintendência Regional de Ensino de Divinópolis

Postado em: Uncategorized — admin @ 15:03

2 Comentários »

  1. sou descendente de indigenas …gostei de ver essa demostração de ensino ;;

    Comment by renato rocha — 20/05/2015 @ 21:42

  2. Sou professora e achei a iniciativa um avanço, tendo em vista que os alunos de escola não indígenas,tem o direito de aprender sobre a História e Cultura Afro e dos povos Indígenas, estabelecida na Lei 11.645/08.

    Comment by Tatiele — 03/11/2016 @ 14:03

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades