Conhecer para não repetir: 12 filmes para estudar a ditadura militar

31/03/2016

Após o último discurso de João Goulart como presidente da República na noite do dia 30 de março de 1964, tropas militares e apoiadores civis começaram a se movimentar para sua derrubada. Nas primeiras horas do dia 31 de março, o golpe de Estado começou efetivamente com a saída de tropas de Minas Gerais em direção ao Rio de Janeiro, ainda sede do governo federal. Esse movimento, que hoje completa 52 anos, daria início à ditadura militar no Brasil.

O novo regime, que se estendeu até o ano de 1985, impôs uma série de atos institucionais antidemocráticos, dentre eles o AI-5 de 1968, que suspendeu a Constituição do país e dissolveu o Congresso. Foram anos de censura, perseguições políticas e formação de grupos de resistência. Muitos filmes e documentários do cinema brasileiro retratam esse período da nossa história e podem ajudá-lo a conhecer mais sobre a ditadura militar e outros aspectos que envolvem esse regime. Listamos a seguir algumas dicas.

Pra Frente, Brasil (1982): Dirigido por Roberto Farias, foi um dos primeiros filmes a retratar a ditadura e chegou a ser censurado. Nos anos 1970, enquanto o País vibra com a Copa do Mundo e prisioneiros políticos são torturados, um trabalhador de classe média é confundido com um ativista.

Nunca Fomos Tão Felizes (1984): O diretor Murilo Salles retrata o período da ditadura a partir de uma relação familiar. Um militante perseguido pelo regime retira seu filho de um colégio interno após anos sem comunicação. Disposto a desvendar os mistérios do pai e conhecê-lo melhor, o jovem começa a investigar sua vida.

Corpo em Delito (1990): Dirigido por Nuno César Abreu, tem Lima Duarte como Athos, um médico legista que falsifica laudos para encobrir mortes causadas pela repressão durante a década de 70. Após se aposentar e se dedicar à carreira de escritor, ele continua assombrado pelos acontecimentos do passado.

Lamarca (1994): O ator Paulo Betti estrela a cinebiografia do militar e guerrilheiro Carlos Lamarca, um dos mais conhecidos do País, que foi morto aos 33 anos, em 1971. Sérgio Rezende é o diretor do filme, adaptado do livro de Emiliano José e Miranda Oldack.

O Que é Isso Companheiro? (1997): Dirigido por Bruno Barreto, concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro no seu ano de lançamento. A obra conta a história verídica do sequestro do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, em setembro de 1969, por integrantes de grupos de esquerda que lutavam contra a ditadura militar. Em troca do embaixador, o grupo conseguiu a liberação de diversos prisioneiros políticos.

Ação Entre Amigos (1998): Dirigido por Beto Brant, o filme acompanha um grupo de quatro ex-guerrilheiros que, 25 anos após terem sido presos e torturados pela ditadura, se reúnem para encontrar o homem responsável pelo que aconteceu.

Cabra-Cega (2005): Dirigido por Toni Venturi, conta a história de Tiago e Rosa, dois jovens militantes da luta armada nos anos 1970. Após ser ferido, Tiago precisa se esconder na casa de um simpatizante do movimento, em quem não sabe se pode confiar, e contar com Rosa para se conectar com o mundo exterior.

Zuzu Angel (2006): Dirigido por Sérgio Rezende, o filme conta a história verídica da estilista Zuzu Angel, mãe do militante político Stuart Angel Jones, que foi torturado e assassinado pelos militares. Zuzu foi um exemplo de mãe que, antes apolítica, passou a lutar contra o governo pelo direito de reaver o corpo de seu filho desaparecido e conseguir justiça.

O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (2006): Dirigido por Cao Hamburguer, o longa é estrelado por Michel Joelsas. O jovem ator interpreta Mauro, um garoto de 12 anos que vê sua vida mudar completamente quando os pais, militantes de esquerda no Brasil dos anos 1970, “saem de férias” de forma inesperada.

Batismo de Sangue (2007): Baseado no livro homônimo de Frei Betto, conta a história de um convento de frades dominicanos no final da década de 1960, que se torna uma forte resistência à ditadura militar. Movidos por ideais cristãos, os frades colaboram e apoiam o grupo Ação Libertadora Nacional, comandado por Carlos Marighella.

O dia que durou 21 anos (2012): Documentário de Camilo Tavares que aborda a atuação americana no golpe de 64.

Tatuagem (2013): Filme de Hilton Lacerda que se passa em 1978, mostra um grupo de artistas que provoca a moral e os bons costumes durante a Ditadura Militar, enquanto um soldado se apaixona pelo líder do teatro.

Postado em: Uncategorized — admin @ 18:41

5 Comentários »

  1. Boa iniciativa.

    Pode-se criar uma lista de filmes, músicas, livros paradidáticos relacionadas a diferentes conteúdos para divulgação nos site.

    Comment by Ismael — 01/04/2016 @ 19:58

  2. [...] FONTE: http://blog.educacao.mg.gov.br/?p=12608 (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); [...]

    Pingback by 12 Filmes para estudar a Ditadura Militar – O Incrível Zé — 01/04/2016 @ 22:03

  3. Parabéns pela iniciativa. Valida para todos os conteúdos e ciclos da educação.

    Comment by Valéria de Araújo — 04/04/2016 @ 19:42

  4. Onde posso conseguir ou comprar estes filmes?

    Comment by Ingrid — 05/04/2016 @ 16:35

  5. Excelente iniciativa.

    Comment by Romário de Souza Lima — 03/08/2016 @ 11:03

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades