Nove dicas sobre como envolver os alunos durante a aula

11/10/2016


Uma das queixas mais freqüentes de professores é sobre como conseguir envolver os alunos, principalmente os adolescentes, durante as aulas. A verdade é que não existe uma fórmula mágica, mas talvez seja possível pensar em algumas possibilidades para encarar este desafio de uma forma criativa e eficiente.

1 – Seja autêntico: Sermos autênticos com nós mesmos significa expressarmos para os outros aquilo o que realmente somos, pensamos e sentimos. E, pode apostar, crianças e adolescentes valorizam muito estas qualidades na figura de um adulto. Seja sincero e busque ser espontâneo. Não é tarefa fácil, requer autoconhecimento, confiança e a capacidade de tolerar e trabalhar a partir do conflito. Mas, quando somos autênticos, transmitimos confiança e solidariedade às relações.

2- Incentive o diálogo: A sala de aula não é apenas um espaço de transmissão de conhecimento, mas, muito mais do que isso, é um espaço de troca e de produção de conhecimento. Escute atentamente o que os alunos têm a dizer, suas respostas, suas dúvidas. Incentive o debate entre você e os alunos e também entre os próprios alunos. Dê espaço para pontos de vista diferentes. Estimule situações que desafiem o debate de ideias pré concebidas.

3- Crie empatia: Empatia é a habilidade de se colocar no lugar do outro. A palavra, de origem grega, “empatheia”, significa afeto ou paixão, ou ainda “entrar no sentimento”. Ser empático significa ter atitudes com a finalidade de compreender ao máximo a perspectiva de uma outra pessoa. Crie uma proximidade com os alunos e os deixe mais a vontade com o ambiente da sala de aula. Você perceberá como o comprometimento aumentará.

4- Esclareça papéis: Crianças e adolescentes convivem com diferentes figuras adultas: pai, mãe, avós, diretor de escola, treinadores etc. Às vezes, pode ser um pouco confuso e até mesmo chato para eles ter que distinguir entre diferentes papéis destes adultos, muitos dos quais significam autoridade. Por isso, os auxilie nesse desafio e demonstre de forma clara o que eles podem esperar de você e o que você espera deles.

5- Seja transparente: Além de ser autêntico e ser empático, é muito importante que um professor seja transparente com os seus alunos. Não esconda deles o que pensa. Da mesma forma, saiba admitir quando estiver errado sobre algo ou mesmo quando não souber responder a alguma pergunta. Os jovens vivem hoje em um mundo com acesso fácil à informação, por isso é possível que surjam questionamentos sobre aquilo que está sendo ensinado. Caso tenha errado alguma informação ou não saiba responder, aproveite a oportunidade para demonstrar que errar é humano. Essa atitude transmite confiança e credibilidade.

6- Resolva problemas colaborativamente: A sala de aula é um espaço de trabalho em grupo. Além de desenvolver o aprendizado individual dos alunos, o professor deve procurar desenvolver a capacidade dos alunos de trabalhar em grupo. Ofereça a eles possibilidades de resolução dos problemas e deixe que discutam entre si quais as melhores formas de decidir a questão.

7- Dê feedbacks honestos e generosos: Sempre que puder, converse com os alunos sobre como está se desenvolvendo o aprendizado da turma e de cada um, individualmente. Mostre que você está envolvido, atento e comprometido com eles. Mas evite julgamentos e comentários que podem soar como críticas muito duras.  Demonstre estar sempre esperançoso, encorajando os alunos a se tornarem melhores. Criticá-los pode piorar a situação e fazê-los acreditar que não são capazes de evoluir.

8- Aplique o conhecimento no cotidiano: Para que o que se aprende em sala de aula faça mais sentido na vida dos alunos, é muito importante que eles consigam perceber que o conteúdo está relacionado com o que vivem. Por isso, busque dar exemplos práticos, seja em qual disciplina for. Mesmo quando o conteúdo for abstrato, como questões complexas de matemática ou filosofia, demonstre para os alunos que a capacidade de raciocínio lógico e abstrato é importante para a resolução de problemas na vida.

 

9 – Desenvolva a habilidade de argumentação: Desafie os alunos a saberem defender suas idéias. Além da capacidade de interpretação, o professor deve buscar desenvolver a capacidade de argumentação. Os desafie a expor para a turma o que pensam e, mais do que isso, a produzir conhecimento a partir de informações adquiridas.

Postado em: Uncategorized — pamela @ 18:16

9 Comentários »

  1. Pertinente as nove dicas. Gostei imenso!

    Comment by Márcia Almeida — 11/10/2016 @ 19:38

  2. Gostei das dicas. São interessantes.É sempre útil receber dicas a serem usadas em sala de aula. Quando mais lemos mais aprendemos e ,com certeza, melhor será nossa atuação junto aos alunos. Obrigada!

    Comment by Rachel Maria Garcia Rezende — 12/10/2016 @ 15:33

  3. Demonstre como superou as crises da sua adolescência que passou. Adolescentes gostam quando demonstramos que temos muitas semelhanças.

    Comment by Raniel — 13/10/2016 @ 08:31

  4. Gostei das dicas.Realmente são interessantes.Obrigada!

    Comment by Ivanete Luzia de Brito — 10/01/2017 @ 22:25

  5. Obrigada pelas dicas.São ótimas.Vou colocá-las em práticas nesse ano de 2017.
    Gostaria de receber dicas diretamente para aulas de matemática.

    Obrigada

    Comment by Maria Nailda Moreira Alves — 20/01/2017 @ 07:21

  6. Parabéns, adorei as dicas…

    Comment by milena — 02/02/2017 @ 13:36

  7. Amei , estou precisando dessas dicas.

    Comment by maria aparecida — 22/02/2017 @ 17:59

  8. Acredito em todos os passos abordados e sempre procuramos colocá-los em prática. Muito boa a ideia de socializar conhecimentos nas redes…

    Comment by Regina Lima — 04/03/2017 @ 10:19

  9. Muito legal essas dicas, serão de grande valia, tais praticas só engrandece o futuro.

    Comment by Jose Henrique — 16/03/2017 @ 00:07

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades