Dicas para usar a internet de forma mais consciente e segura

25/04/2017

A internet e as redes sociais são espaços de convivência dos adolescentes e jovens, e a segurança e os cuidados são assuntos que devem sempre estar presentes nas salas de aula e no ambiente familiar, para prevenir e promover o uso seguro destas importantes ferramentas. Fomentar o diálogo e orientar os estudantes sobre exposição adequada na internet e o uso crítico, ético, saudável e responsável das tecnologias digitais são desafios a serem encarados por todos.

Os riscos existem, tanto dentro quanto fora da sala de aula. O mundo da internet é repleto de conteúdos, dos mais diversos tipos, bons e ruins. Golpes de hackers, falsas propagandas e conteúdos indesejáveis, como pornografia, incitação e práticas de racismo, intolerância, ódio e preconceito das mais variadas formas estão à disposição na rede. É necessário que professores e pais conheçam as tecnologias para prevenir incidentes e façam um trabalho sistemático sobre uso seguro das tecnologias pelas crianças, adolescentes e jovens, aprimorando o diálogo sobre vida digital.

Uma ação importante de prevenção e de promoção do uso ético e seguro das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) são as atividades de sensibilização e formação de multiplicadores da Safernet e o seu canal gratuito de ajuda e orientação. Os atendimentos de psicologia on-line esclarecem dúvidas, ensinam formas seguras de uso da Internet e também orientam crianças e adolescentes sobre situações de violência on-line.

Claro está que o uso de tecnologias não deve ser um inimigo da educação. Existem diversas possibilidades de aplicar e inserir o uso de smartphones como plataforma pedagógica. Para isso, é preciso discutir o assunto no ambiente escolar e adotar políticas para uso dos dispositivos móveis na escola. Atenta a essas transformações, a UNESCO lançou em 2013, um guia (em inglês) com recomendações para interessados em incluir tecnologias móveis na escola. A organização acredita que o uso das tecnologias em sala de aula é algo pedagogicamente importante.

 

O Blog Educação selecionou algumas orientações para os educadores lidarem com o assunto. Confira:

Prevenção permanente: realize debates com discussões sobre comportamento e ética nos ambientes virtuais no dia a dia e discutir com os estudantes a melhor maneira de agir. Chamar especialistas para dar palestras e participar dessas iniciativas também é válido, já que enriquece o debate.

Orientação sobre privacidade: No celular, aplicativos como WhatsApp e Snapchat propiciam a disseminação rápida, e muitas vezes não autorizada, de conteúdos privados. É essencial ensinar os estudantes a avaliar se suas ações podem prejudicá-los de alguma forma.

Listar consequências: a falsa sensação de anonimato e impunidade estimula atitudes irresponsáveis. Lembre aos estudantes que os registros na internet são gravados e podem ser acessados pelos órgãos responsáveis.

Manter o canal de diálogo aberto: os educadores devem construir uma relação de confiança e respeito com os estudantes de maneira que eles se sintam à vontade para se comunicar e pedir ajuda.

Discutir regras de uso: mais efetivo do que proibir é dialogar e envolver os alunos na decisão sobre regras e punições. Uma opção é a escola estabelecer limites gerais em conjunto e os professores tomarem as decisões mais específicas com suas turmas, de acordo com as características do ano em que estudam e dos interesses que apresentam.

Usar a internet de forma positiva: use a tecnologia para se comunicar com os alunos, publicando documentos, atividades e outros materiais úteis para a sala. Amplie o horizonte deles mostrando possibilidades positivas e produtivas da tecnologia. Estabeleça uma troca com os pais, usando ferramentas digitais para envolvê-los nas discussões da escola.

Intervir rapidamente: por ter mais proximidade com os alunos, o professor costuma ser o primeiro a saber de conflitos entre eles, seja na sala, ou nos ambientes virtuais. Por isso, converse com a turma e discuta soluções. Os problemas mais sérios devem ser compartilhados com a equipe escolar e as famílias dos envolvidos. Em caso de crime, é imprescindível acionar as autoridades responsáveis pela proteção de crianças e adolescentes, como Conselho Tutelar e Ministério Público (MP).

 

Ações da Secretaria de Estado de Educação

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) publicou em novembro de 2015 o Guia Participativo de Segurança e Informação nas Escolas Estaduais. A publicação online tem por objetivo fornecer informações e orientar os jovens, educadores e cidadãos em geral sobre o ambiente da Internet, o uso consciente das redes sociais, os direitos e os deveres em relação à tecnologia e à informação, entre outros pontos.

A Versão 2.0 do Guia está sendo elaborada pela Subsecretaria de Informações e Tecnologias Educacionais da SEE, a partir da colaboração dos jovens e professores, trazendo as discussões para um panorama mais atual. A segunda versão do material tem previsão de ser publicada no inicio do próximo semestre.

Portal Escola Interativa da SEE possui um vasto material que pode ser utilizado para discutir e aprofundar sobre o assunto. São vídeos, sugestões de atividades, orientações sobre segurança e diversos outros conteúdos que auxiliam no uso seguro da Internet.

Postado em: Dicas — Eric @ 17:56

2 Comentários »

  1. A internet, se for usada da maneira correta, se torna um excelente ambiente para aprendizado, e dicas de segurança nunca são demais.

    Comment by Rafael — 25/04/2017 @ 19:04

  2. Parabéns pela bela reportagem!
    Muito instrutiva.

    Comment by Raquel Pedagoga — 05/05/2017 @ 14:11

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades