Ciência na cozinha: alunos de escola estadual na Zona da Mata aprendem a reciclar alimentos

09/05/2012

Bife de casca de banana, doce de casca de maracujá e torta de folhas e talos… Deu água na boca?  Não se trata de nenhuma aula de culinária, mas sim de Ciências. É cozinhando, que alunos da Escola Estadual Professor Gabriel Arcanjo de Mendonça, em São João Nepomuceno, aprendem não só Ciências, mas também Matemática e Português. Seja na cozinha de casa, em sala de aula aprendendo frações por meio das fatias de bolo e porções de iguarias, ou até mesmo escrevendo seu próprio caderno de receitas, que mais tarde se tornam trabalhos avaliativos por meio do projeto ‘Reciclagem de Alimentos’.  Talos, cascas, folhas e sementes dão um sabor especial às receitas mais diversas, resultando em pratos saborosos, de baixo custo e altamente nutritivos e ainda colocadas para degustação e avaliação de professores, alunos, diretores, servidores da comunidade escolar e até familiares dos estudantes.

Coordenado por Ivanízia Maria de Faria Moreira, professora de Ciências da escola desde 2004, o projeto, que existe há pouco mais de três anos, teve sua culminância nos dias 26 e 27 de abril, em cinco turmas mobilizando cerca de 150 estudantes do 8º e 9º anos.  Em sala de aula, os alunos são estimulados a pesquisar sobre o valor nutricional, aproveitamento de alimentos, além de combate ao desperdício e à fome e ainda noções de cidadania.  “Dividimos as turmas e usamos as aulas para a atividade, que entre outros quesitos avalia os alimentos usados, os nutrientes que trazem uma série de benefícios ao organismo e ainda a beleza dos pratos”, explicou Ivanízia.

Alunos mostram que é possível aproveitar muito mais do que se imagina dos alimentos. Foto: Arquivo da Escola

Mas as aulas não se restringem às salas, munidos de informações coletadas nas pesquisas, os estudantes vão para a cozinha de casa onde testam ou criam suas próprias receitas como conta Thelemaco Rezende, 16 anos, aluno do 2º ano do ensino médio e que participa do projeto desde o início.  “Nesse ano, meu grupo e eu fizemos uma torta de talos de brócolis e almeirão e aprendemos como aproveitar o máximo desses alimentos, além disso tivemos palestra, discussões e até trocamos receitas”, conta empolgado o estudante. Mas não foi só isso, o projeto mudou os hábitos alimentares de toda a família. “Por meio do ‘Reciclagem de Alimentos’ me conscientizei do valor nutricional dos alimentos e passei a incorporar esses hábitos no cotidiano da minha casa, até meus avós fazem as receitas”, revelou.

Luísa Bergo, 13 anos, aluna do 9º ano que participa pela segunda vez, conta como ela e seu grupo fizeram carne ensopada com casca de melancia. “Os pratos mais comuns são bolos e doces, escolhemos esse por ser diferente e interessante, o mais difícil foi picar todos os ingredientes bem fininhos, pois a receita é minuciosa”. Apesar da polpa da melancia não ser usada na receita, as estudantes seguiram a máxima da reciclagem e aproveitaram toda a fruta. “Para não desperdiçar nada também fizemos o suco, além do ensopado com a casca”, contou.

Escola abre espaço para a culinária entre os estudantes e discute alimentação saudável. Foto: Arquivo da Escola

Em projeto, alunos aprenderam dicas para reaproveitar alimentos. Foto: Arquivo da Escola

Luísa já tinha noções de aproveitamento dos alimentos apreendidas em casa, mas reconhece que o projeto ajudou. “Meus pais me ensinaram alguns hábitos de família, como cozinhar arroz utilizando água da beterraba e outros legumes ou fritar batata com casca, mas participar do reciclando potencializou ainda mais os conhecimentos”, avalia

Durante as atividades, algumas descobertas surpreenderam até mesmo Ivanízia. “Os alunos descobriram pesquisando, que cascas de algumas frutas possuem mais nutrientes do que a polpa, como a casca de banana, que tem mais que o dobro de potássio, 0,9 g, em relação ao encontrado na polpa da fruta, com 0,4 g.”, revelou a professora. “Outro bom exemplo é a casca do abacaxi, que pode se transformar em xarope para combater doenças respiratórias como bronquite”, salientou.

Antes por a mão na massa, os estudantes realizam pesquisas sobre a possibilidade de reaproveitamento de alimentos. Foto: Arquivo da Escola

Para Ivanízia, o ambiente escolar é fértil para trabalhar os valores de cidadania.  “Vivemos num país rico mas onde, infelizmente, um grande número de pessoas ainda passa fome, na escola podemos trabalhar essas e outras questões com as turmas e o ‘Reciclagem de Alimentos’ é uma boa estratégia”, afirmou.  “Além da questão pedagógica tem a interação com a comunidade escolar, com os pais, a mudança de hábitos alimentares e a oportunidade do estudante desenvolver o conhecimento que é levado para a prática”, comemora a professora.

Raio X do desperdício

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, sigla em inglês), cerca de um terço dos alimentos produzidos por ano no mundo é desperdiçado.  No Brasil, as estimativas dão conta que anualmente desperdiçamos 26 milhões de toneladas de alimentos, sendo que cerca de 30% vai para o lixo e sem nenhum tipo de reaproveitamento.

Envolvimento dos alunos levou à conscientização sobre a prática de hábitos saudáveis. Foto: Arquivo da Escola

Mais de 60% do que é plantado no país é perdido entre a colheita, processamento, transporte e hábitos alimentares. A cada ano esse número aumenta ainda mais e o valor total do desperdício é dividido: 10% na colheita, 50% no manuseio e transporte, 30% no abastecimento e 10% nos supermercados e na casa dos consumidores.

Os “campeões” do desperdício são as hortaliças, frutas, tubérculos e raízes, causando um impacto negativo na economia do país e do mundo.  Vale lembrar que essas mesmas folhas ou cascas que são jogadas no lixo podem ser aproveitadas para se fazer bolinhos, tortas salgadas ou doces, sopas e caldos e várias outras receitas. 

Município: São João Nepomuceno / Superintendência Regional de Ensino de Juiz de Fora

Postado em: Uncategorized — admin @ 09:28

3 Comentários »

  1. Parabéns à professora Ivanizia pelo projeto que vem desenvolvendo com relação à reciclagem de alimentos. Fico muito orgulhoso de ver o envolvimento dos nossos alunos no cito Projeto. Além do fator educativo, notamos também a alegria com que desenvolvem as atividades. Tanto que os próprios alunos solicitam à professora que retome o projeto em cada ano letivo. Nossos alunos mostram potenciais, talentos, adormecidos e, com a devida motivação e o adequado incetivo, mostram-se verdadeiros e criativos artista da cozinha. Recebam, queridos alunos, nosso reconhecimento e nossa admiração pelo compromisso, comprometimento e pela responsabilidade com que participam do Projeto aqui postado.

    Cassio Fernando Cunha Alves
    Diretor Escolar II
    Masp 373794-7

    Comment by Cassio Fernando Cunha Alves — 10/05/2012 @ 21:33

  2. Parabéns a você Ivanizia e toda equipe. Estarei divulgando seu blog com certeza.
    Ísto sim, é um exemplo de cidadania. Incentivando os jovens a valorizar o que têm em mãos, podendo aproveitar suas riquezas quando a tantos passando fome em outras regioes do Brasil. Vale mostrar, incentivar e fazer.

    Comment by giusele isolani cruz faria — 11/05/2012 @ 10:33

  3. Olá,
    Muito bom o texto!
    Gostaria de saber o nome do autor desse artigo para cita-lo(a) num trabalho!
    Obrigado

    Comment by Daniel — 18/09/2012 @ 11:02

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades