Ex-aluno da rede estadual se prepara para cursar Matemática na Europa

16/03/2010

Rômulo Alexandre da Rocha sempre gostou de Matemática, mas não podia imaginar que o seu interesse pela disciplina o levaria tão longe, para ser mais preciso à Espanha. Com apenas 22 anos, o mineiro de Contagem é um dos beneficiados pelo Prouni Internacional, uma modalidade do Prouni – Programa Universidade para Todos – que selecionou este ano, dez alunos para cursarem a graduação em terra espanhola. A oportunidade é fruto de uma parceria entre o Ministério da Educação (MEC) e a Universidade de Salamanca. Rômulo estudou todo o Ensino Médio e a maior parte do Ensino Fundamental em escolas estaduais de Minas, nas cidades de Contagem e Belo Horizonte. No próximo dia 22 de março (domingo), o estudante, que nunca saiu da região de Belo Horizonte, embarca para Espanha e confessa que ainda está surpreso com a ideia. “Eu não imaginava que a minha tentativa de cursar uma faculdade tomaria proporção fora do país”, avalia.

Participante da última seleção do Prouni, Rômulo Alexandre da Rocha, foi classificado em primeiro lugar nacional no curso de Matemática. Em uma escala de proficiência que varia de 0 a 1000, o estudante mineiro conquistou o índice de 749, 98. Com esta nota, Rômulo se inscreveu no Centro Universitário de Belo Horizonte – UNI BH – e foi convocado para iniciar sua graduação em Matemática. Dias depois, a Diretora de Políticas e Programas de Graduação da Educação Superior do Ministério da Educação, Paula Melo Branco, ligou para contar sobre a possibilidade de estudar no exterior. “Não ia iniciar o meu curso por agora devido a minha situação financeira, mas assim que a diretora ligou e me explicou essa novidade conversei com a minha família e ficou tudo certo”, explica o estudante que até então trabalhava em uma loja de confecções.

Rômulo foi o primeiro colocado em matemática no ProUni

Rômulo foi o primeiro colocado em matemática no ProUni

Força de vontade mais dedicação é igual a sucesso – A possibilidade de Rômulo estudar no exterior criou expectativas para sua família. A dona de casa, Cleiner Eliane Teixeira da Rocha, é mãe do estudante e acredita que a oportunidade não veio por acaso. “A emoção é grande demais. A gente vai sentir saudades, mas vai ser por um bom motivo. O pai dele, antes de falecer, me disse: ‘esse filho vai te dar muita glória. Vai te dar muita coisa boa. Ele vale ouro’”, conta orgulhosa. Hoje, Rômulo mora com a mãe e a irmã de 12 anos. “Ele sempre foi inteligente. Quando eu tinha dúvidas ele me ensinava. Ensinava até os colegas também. Ele é um exemplo para os jovens. Eu vou tentar seguir o seu exemplo e ir bem na escola”, promete a irmã, Flávia Karine da Rocha.
Primeiros passos – Amanhã (17/03), às 21 horas, Rômulo fará uma visita à Escola Estadual Padre Camargos, em Contagem, para reencontrar alguns de seus professores do Ensino Médio. Na quinta-feira, ele segue para Brasília, onde provavelmente ficará até domingo, quando embarca para Madri, na Espanha.

Preparação para estudo no exterior – Antes de iniciar o curso de Matemática na Universidade de Salamanca, o estudante vai passar por uma prova de proficiência no idioma e de conhecimentos gerais do Ensino Médio, que são exigidas pelo governo espanhol.  Como preparação para esses exames, que acontecem em julho, Rômulo e os outros alunos beneficiados pelo programa, viajam para a Espanha já no próximo final de semana. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) vai pagar a passagem e uma bolsa de estudos de Língua Espanhola em um curso preparatório para a realização das provas. Caso os beneficiados sejam aprovados nos exames, os estudantes iniciarão os cursos de graduação em Salamanca, em setembro.

Benefícios aos alunos – Os estudantes aprovados nas provas de proficiência e conhecimentos gerais vão receber uma bolsa de permanência mensal paga por um banco espanhol, no valor de 870 euros, durante o período do curso. O auxílio deve ser gasto com alimentação, hospedagem, despesas com livros e outros relativos à manutenção dos estudantes no país. Este ano é a primeira vez que o Prouni utiliza a modalidade Prouni Internacional. Além do mineiro Rômulo, que vai cursar Matemática, os melhores classificados do país nas áreas de Biologia, Biotecnologia, Estatística, Farmácia, Física, Informação e Documentação, Engenharia de Materiais, Engenharia de Edificações e Sociologia, também terão a oportunidade de cursarem suas graduações na Espanha, na Universidade de Salamanca.

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 17:54

Estudantes do Escola Viva, Comunidade Ativa vão conferir espetáculo de dança

12/03/2010

Estudantes do projeto Escola Viva, Comunidade Ativa, da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, trocarão as carteiras da sala de aula pelas cadeiras do teatro nesta sexta-feira (12). Alunos de 16 escolas estaduais de Belo Horizonte assistirão ao espetáculo “Fábulas Dançadas de Leonardo Da Vinci”, no Teatro Klauss Vianna, no centro de BH. A peça estreará diante dos olhos dos 640 estudantes do projeto, com duas apresentações: uma pela manhã e outra à tarde.

A Escola Estadual Alzira Albuquerque, no bairro Salgado Filho, em Belo Horizonte, é uma das 16 que levará estudantes para assistir ao espetáculo. Segundo a diretora Luiza Gomide Vieira, a atividade fora de sala de aula renderá um trabalho de pesquisa interdisciplinar. “Depois da visita, os estudantes vão fazer uma resenha sobre o espetáculo, trabalhos artísticos inspirados no que viram e também vão pesquisar mais sobre a história de Leonardo Da Vinci. Sair da sala de aula é muito bom, instiga o aluno a aprender sobre assuntos diferentes”, explica a diretora.

Paula Aguas é a bailarina que dança ao longo da apresentação. Crédito: Divulgação

Paula Aguas é a bailarina que dança ao longo da apresentação. Crédito: Divulgação

Escola Viva – Desde sua implantação, em 2004, o projeto Escola Viva, Comunidade Ativa, trabalha para fortalecer escolas em áreas urbanas com população de vulnerabilidade social. Hoje, 504 escola da rede estadual são atendidas em toda Minas Gerais.

Espetáculo – O espetáculo traz ao público uma outra faceta de Leonardo Da Vinci. Além de pintor, escultor, arquiteto, cientista, inventor, Da Vinci também escreveu pequenas fábulas infantis. Depois de editadas em um livro, as fábulas ganharam versões musicais e integraram o CD “Fábulas de Leonardo da Vinci”, criado pelo maestro Alfredo Sertã. Agora, sob a direção de Luís Igreja, as histórias de Da Vinci se transformaram em um espetáculo de dança, voltado para o público infantil. “Nós fizemos alguns ensaios abertos com escolas no Rio de Janeiro e a resposta do público foi muito boa. É um espetáculo que tem muitos estímulos sensoriais, muito delicado e que alia música, imagens e excelentes histórias”, conta Luís Igreja.

Durante o espetáculo, a bailarina Paula Aguas coreografa e interpreta três fábulas gravadas no CD: as histórias “O papel e a tinta”, narrada pela atriz Patricia Pillar, “A navalha”, interpretada por Beth Goulart e “A formiga e o grão de trigo” na voz de Paulo Goulart. Além da dança, o artista plástico Marcos Vinícius de Palma cria desenhos durante a peça que são projetados para o público e ajudam a criar um clima envolvente.

Após a apresentaçãos gratuita para os estudantes do projeto Escola Viva, Comunidade Ativa, o espetáculo, patrocinado pela empresa de telefonia Oi e apoiado pelo Oi Futuro, terá temporada aberta ao público nos dias 13, às 16h e 14 de março, às 11h e 16h, com ingressos a preços populares. Outras informações pelo telefone 32293131.

Postado em: Escola é Manchete — guilhermebrasil @ 17:19

Estudantes do projeto Escola Viva, Comunidade Ativa participam de oficinas de culinária

11/03/2010

Estudantes de duas escolas estaduais de Belo Horizonte terão suas primeiras lições culinárias no mês de março. Integrantes do projeto Escola Vida, Comunidade Ativa da Secretaria de Estado de Educação, as escolas estaduais Ana de Carvalho Silveira, em Belo Horizonte, e Maria Floripes Nascimento Alves, em Sabará, selecionaram alunos para participar do projeto Chefs do Amanhã. Criado em 2008 pela Secretaria de Esporte e da Juventude, com apoio do CEASA/MG, do Centro Mineiro de Referência em Resíduos e da Fundação do Meio Ambiente e Serviço Social, o projeto Chefs do Amanhã terá início no próximo dia 10. Estudantes de cada escola terão aulas sobre educação nutricional, manipulação e conservação de alimentos, além de aprender algumas receitas.

O curso acontecerá uma vez por semana no Centro Mineiro de Referência em Resíduos e terá duração de quatro aulas. Cada turma é composta por 25 jovens e ao final das oficinas, além de aprenderem lições sobre culinária, os estudantes ainda ganham um certificado de prática em culinária básica e reaproveitamento de alimentos. Segundo a coordenadora da cozinha experimental do centro, Fernanda Piló Redig, o objetivo é despertar o interesse do jovem pela área. “A proposta do projeto é levar a culinária básica a esses alunos, sempre dando ênfase no aproveitamento integral de alimentos. Uma das metas do centro é a não geração de resíduos”, conta Fernanda.

Alunos aprendem sobre regras de higiene, aproveitamento e algumas receitas

Alunos aprendem sobre regras de higiene, aproveitamento e algumas receitas

Pensando no reaproveitamento, as aulas trabalham com um cardápio variado e o mínimo de desperdício. Se um dos ingredientes é a melancia, por exemplo, toda ela é aproveitada. A casca vira salpicão, a polpa se transforma em suco, a parte branca serve de ingrediente para um doce e nem a semente fica de fora do banquete: é torrada e saboreada como um amendoim. “Nós ensinamos como aproveitar cascas, talos, folhas. Mostramos como é possível transformar em comida vários ingredientes que comumente iriam para o lixo. Aliás, nós produzimos muito pouco lixo durante as aulas, aproveitamos quase tudo”, explica Fernanda Piló.

Quem já passou pelo projeto ficou com vontade de “quero mais”. A estudante Heloar Rodrigues, de 18 anos, teve suas aulas em 2008, quando estudava na Escola Estadual Bernardo Monteiro. Aluna destaque na cozinha experimental, Heloar encontrou nas oficinas do projeto um incentivo para abraçar sua vocação. “Eu achei muito bacana, até descobri que quero fazer gastronomia. Tive até a oportunidade de conhecer e cozinhar com um chef espanhol em um evento. A maior lição que eu tirei é que a gente não deve jogar nenhum alimento fora”, conta Heloar, que desde que fez o curso testa novas receitas em casa e já pensa em fazer um curso na área gastronômica.

Projeto dá uma noção de como é o mercado de trabalho para quem trabalha com gastronomia

Projeto dá uma noção de como é o mercado de trabalho para quem trabalha com gastronomia

Expectativa – Os estudantes que ainda não entraram na cozinha estão ansiosos. Na Escola Estadual Ana de Carvalho Silveira muitos alunos demonstraram interesse pelo projeto. Segundo a diretora da escola, Joseane Aparecida Meliato Vilela, foi necessário fazer uma seleção entre os jovens para fechar o grupo de 25 alunos. “O interesse foi muito grande, tanto entre meninos quanto entre meninas. A ideia do curso foi muito bem aceita, eles ficaram atrás de mim querendo uma vaga, tanto que tive que fazer uma seleção”, explica.

Até o fim do mês de abril, turmas de seis escolas irão participar do projeto, beneficiando 150 alunos. Em 2009, o projeto Chefs do Amanhã já ofereceu aulas a 330 jovens.

Postado em: Escola é Manchete — guilhermebrasil @ 06:02

Escolas da rede estadual fazem pesquisa sobre a vida e obra de Ariano Suassuna

09/03/2010

Estimulados pelo estudo e discussões em sala de aula sobre vida e obra de Ariano Suassuna, estudantes de três escolas estaduais que integram o projeto Escola Viva Comunidade Ativa, da Secretaria de Estado de Educação, estão ansiosos para assistir ao espetáculo “Ariano”. A pesquisa escolar foi orientada por professores de Língua Portuguesa que participaram do Fórum das Letras de Ouro Preto. A sessão especial para os alunos das escolas Cristiano Machado e Deputado Manoel Costa, da Capital, e da Maria Floripes Nascimento Alves, de Sabará, será na próxima quarta-feira (10/03), no Teatro Alterosa. O espetáculo tem direção de Gustavo Paso e será apresentado às 15 horas.

Após pesquisa escolar, estudantes assistem a espetáculo sobre Ariano Suassuna

Após pesquisa escolar, estudantes assistem a espetáculo sobre Ariano Suassuna

Norma Kátia Rosa Cardoso, professora de Língua Portuguesa da Escola Estadual Deputado Manoel Costa, conta que assim que soube do espetáculo procurou discutir a biografia e as obras do escritor com os alunos. “Em um dos momentos assistimos ao filme ‘Auto da Compadecida’, que é baseado em uma de suas obras que tem o mesmo nome”, destaca a professora que leciona para o 3º ano do Ensino Médio. O mesmo trabalho foi feito com os alunos na Escola Estadual Maria Floripes Nascimento Alves. “O que eu destaquei para eles foram o regionalismo e a religiosidade, elementos que o Ariano faz questão de mostrar”, ressalta a professora de Língua Portuguesa e Literatura, Gláucia Maria Ferreira da Costa.

Na Escola Estadual Cristiano Machado, a oportunidade de assistir ao espetáculo veio se somar ao que já era discutido em sala de aula pela professora. “Eu estou trabalhando com os alunos o gênero dramático. Os alunos leram a peça e assistiram ao filme ‘Auto da Compadecida’. O espetáculo vem se somar a essas informações”, explica Olga Lúcia Alves Neto, professora de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira.

A estudante do 3º ano do Ensino Médio da Escola Maria Floripes Nascimento Alves, Priscila Patrício Soares, revelou-se surpresa ao realizar, junto aos seus colegas de sala, uma pesquisa sobre o autor que dá nome à peça. “Na minha escola, por exemplo, nós já conhecíamos algumas peças, filme e série que se originaram delas, mas não sabíamos que eram do Ariano Suassuna”, revela a aluna, que também leu sobre outros trabalhos do escritor como “O Santo e a Porca” e “Romance da Pedra do Reino”.

FOTO 2

Nessa pesquisa pré-espetáculo já tem estudante que destaca seus personagens favoritos da obra de Ariano Suassuna como é o caso de Augusto Meira Teixeira, aluno do 1º ano do Ensino Médio da Escola Cristiano Machado. “O livro que traz a peça ‘Auto da Compadecida’ fala da história de dois personagens pobres, João Grilo e Chicó, que trapaceiam para sobreviver, mas depois têm que acertar as conta com Deus. A história de linguagem fácil tem nos personagens a diversão garantida”, aponta.

Quanto ao espetáculo, as expectativas também são boas. Pelo menos é o que diz o estudante do 9º ano do Ensino Fundamental da Escola Deputado Manoel Costa, Warlley Gomes dos Santos. “Eu acho que assistir ao espetáculo vai ser bom, porque quando você ultrapassa os limites da escola os trabalhos ficam muito mais interessantes”, avalia.

FOTO 3

A vida em um palco – O poeta, romancista e dramaturgo Ariano Suassuna tem sua vida e obra encenadas no Teatro Alterosa. O musical, com direção de Gustavo Paso, reúne alguns dos personagens de destaque e a brasilidade presente na obra do escritor. João Grilo e Chicó do “Auto da Compadecida” (1955) e Clarabela, Simão e Nevinha de “Farça da Boa Preguiça” (1960) são alguns dos exemplos que se encontram no palco representados por 15 atores da Cia Teatro Ephigenia. No espetáculo, que estreou em 2007 e teve oito meses de produção, Ariano Suassuna é protagonizado pelo ator Gustavo Falcão.

Dê olho no aprendizado – Em todo estado o Escola Viva, Comunidade Ativa atende a 440 mil alunos de 504 escolas. Na Região Metropolitana são 230 mil alunos de 221 escolas. Desde sua implantação, em 2004, o projeto trabalha para proporcionar tranquilidade e condições básicas de ensino aos alunos e professores das escolas localizadas em áreas de vulnerabilidade social. A realização de atividades externas faz parte do projeto pedagógico dessas escolas e contribui para que os estudantes ampliem a visão de mundo.

Teatro Alterosa: Avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta – Belo Horizonte – (31) 3237-6611.

Assessoria de Comunicação Social

Secretaria de Estado de Educação

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 17:04

Escola Viva retoma atividades em 2010 com visita à exposição

24/02/2010

Mais de 50 escolas da Região Metropolitana que fazem parte do projeto visitam a exposição “Cumplicidade: 20 anos de reportagem, 20 fotógrafos – Olhares para o Brasil e Brasileiros”

Até o dia 26 de fevereiro, cerca de 2,6 mil alunos de escolas que fazem parte do projeto Escola Viva, Comunidade Ativa, vão visitar a exposição organizada pelo jornalista Bernardino Furtado. “Cumplicidade: 20 anos de reportagem, 20 fotógrafos – Olhares para o Brasil e Brasileiros” está no Museu de Artes e Ofícios (MAO), Praça Rui Barbosa, s/n, centro de Belo Horizonte. O trabalho tem curadoria de Sérgio Rodrigo Reis e reúne um acervo de 42 fotos que mostram ao público outras faces do Brasil, um país interiorano, com muitas dificuldades, pessoas simples, mas fortes, singelas e que contribuem com a sobrevivência do país. As visitas das escolas acontecem durante a manhã, tarde e noite.

Ludmila dos Anjos Oliveira, aluna do 2º ano do Ensino Médio da Escola Estadual João Alphonsus, em Belo Horizonte, visitou a exposição com seus colegas. Segundo ela, passeios como este contribui para a formação do aluno. “Na exposição, o jornalista (Bernardino) nos guiava e destacou o trabalho de fotógrafos que estiveram com ele em suas matérias. Tinha fotos que eu já conhecia por ter lido as matérias nos jornais”, destaca a estudante que buscou se informar também com os comentários presentes abaixo de cada imagem.

 Alunos da EE Doutor Lucas Monteiro Machado, em BH, visitam à exposição que comemora os 20 anos de carreira do jornalista

Alunos da EE Doutor Lucas Monteiro Machado, em BH, visitam à exposição que comemora os 20 anos de carreira do jornalista

Geraldo Magela de Oliveira é professor de História de Ludmila. Para ele, a aluna e seus colegas de escola tiveram a oportunidade relacionar o que aprendem na sala de aula com o cotidiano, ferramenta de grande uso do jornalista. “Muitas das coisas que a gente fica sabendo nos livros de História são baseadas em informações dos jornalistas e fotógrafos”, destaca o professor, que ainda pretende fazer uma discussão em sala com os seus alunos do 2º ano do Ensino Médio.

Para a Escola Estadual Ministro Miguel Mendonça, em Contagem, a exposição vem complementar uma atividade já realizada pelos alunos. “Se para muitas escolas essa exposição é importante, para nós é mais ainda. Nossa escola tem o jornal ‘Miguel Notícias’. Para realizar esse trabalho nossos alunos estudam a memória e a vida do jornalista. Eles têm noção dessa rotina de trabalho e produzem matérias relacionadas a nossa escola”, explica o diretor, Leonardo Kelley de Oliveira, que vai levar cerca de 40 alunos do Ensino Médio no dia 24 de fevereiro, pela manhã.

FOTO 2

Escola Viva, Comunidade Ativa – atende a 221 escolas na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Desde sua implantação, em 2004, o projeto busca fortalecer escolas em áreas urbanas, com população de vulnerabilidade social. Ao integrar o espaço de ensino com a comunidade, por meio de oficinas de artes, práticas culturais e esportivas, o Escola Viva busca também a redução dos atos de vandalismo nos prédios escolares.

A exposição – Produzida com recursos da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, o trabalho do jornalista Bernadino Furtado reúne um acervo de 42 fotos de 1m x 70 cm, em papel fotográfico, que ilustraram matérias do jornalista entre os anos de 1994 e 2008, nos cinco veículos de comunicação em que trabalhou. As imagens pertencem a 20 fotógrafos e compõe um livro, homônimo à exposição. As escolas de Belo Horizonte que fazem parte do projeto Escola Viva, Comunidade Ativa vão receber exemplares do livro, além de 40 fotos que compõe a exposição no Museu de Artes e Ofícios.

Escolas com visitas agendadas:

24/02/2010 – EE Ministro Miguel Mendonça (31) 3482-2083. A escola vai levar cerca de 40 alunos do Ensino Médio.

26/02/2010 – EE Geraldina Ana Gomes (31) 3457-1755. A escola vai levar cerca de 50 alunos do Ensino Médio.

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 18:20

Escolas já podem se inscrever no Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar

19/02/2010

O dossiê que apresenta os projetos e atividades desenvolvidas pelas escolas deve ser entregue às superintendências regionais de ensino até o dia 28 de maio de 2010

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais já recebe inscrições das escolas públicas estaduais, municipais ou conveniadas para o Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar – Ano Base /2009. As instituições interessadas devem enviar à sua Superintendência Regional de Ensino (SRE), até o dia 28 de maio de 2010, o dossiê que destaca os projetos e atividades desenvolvidas pela escola, além da auto-avaliação escolar que se encontra no manual do Prêmio. O informativo está disponível no site do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed). Após o recebimento do material, a SRE registra a candidatura da escola aos comitês de avaliação. O melhor projeto de cada SRE é então enviado para a Secretaria de Estado de Educação, que indicará ao Consed a escola Referência Estadual em Gestão Escolar para concorrer ao prêmio nacional. A melhor escola do país receberá o Prêmio na modalidade Destaque Brasil.

Minas tem um bom retrospecto no Prêmio. Em cinco edições, o estado ficou entre os seis estados finalistas.  A Escola Estadual Doutor Luiz Pinto de Almeida, em Santa Rita do Sapucaí, Sul de Minas, recebeu em 2009 o Prêmio Referencia Nacional em Gestão Escolar – Destaque Brasil. Naquela edição, participaram 1900 escolas de 21 estados. Apenas seis foram selecionadas para a etapa final, que teve em primeiro lugar a escola mineira.

O Prêmio, que existe desde 1998, tem como meta estimular a melhoria do desempenho da escola e o sucesso da aprendizagem dos alunos, pela dedicação e reconhecimento de escolas que estejam desenvolvendo práticas eficazes de gestão. Em ações paralelas, as escolas passam a incorporar uma cultura de auto-avaliação de seu processo de gestão, além de disseminarem suas experiências a outras escolas, melhorando assim os níveis de aproveitamento dos alunos.

Premiação – A primeira escola de cada Estado/Distrito Federal selecionada pelo Comitê Nacional de Avaliação recebe além do diploma “Escola Referência em Gestão Escolar”, a importância de R$ 2 mil coletânea de vídeos educativos concedidos pela Fundação Roberto Marinho. Já os diretores dessas escolas são contemplados com o diploma “Liderança em Gestão Escolar” e recebem com o prêmio a participação em viagem de intercâmbio no Brasil e/ou nos Estados Unidos. Desde 1998, mais de 21 mil escolas participaram do Prêmio, que distribuiu cerca de 640 diplomas.

Realizadores - O Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar – Ano Base/2009, é uma iniciativa conjunta do Consed – Conselho Nacional de Secretários de Educação, Undime – União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura e Fundação Roberto Marinho. Além disso, o prêmio conta com o apoio da Embaixada dos Estados Unidos da América, Todos Pela Educação, MBC – Movimento Brasil Competitivo, Grupo Gol, Gerdau e Instituto Razão Social. Além disso, as seis escolas finalistas receberão R$ 3,5 mil cada, e dentre essas escolas, a que for selecionada para o primeiro lugar recebe o prêmio de R$ 15 mil, concedido pela Fundação Roberto Marinho, e também o Diploma Destaque Brasil.

(Com informações do Conselho Nacional de Secretários de Educação – Consed)

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 11:24

Abertas as inscrições para o Pro-Ciência 2010

11/02/2010

Estão abertas até o dia 05 de março as inscrições para o módulo II do Pro-Ciência 2010. O módulo é destinado aos  professores, analistas educacionais e especialistas que participaram do Pro-Ciência em 2008/2009. Os inscritos vão participar de 20 oficinas, nas quais vão desenvolver temas de ciências e matemática de modo contextualizado. Esta etapa do Projeto foi planejada com objetivo de complementar a primeira capacitação – Módulo I – realizada no período de 2008 e 2009.

As oficinas terão início no dia 15 de março e a previsão de término é para agosto deste ano. Os interessados em participar do Projeto deverão entrar em contato com a sua Superintendência Regional de Ensino (SRE) para esclarecimentos sobre como efetuar as inscrições no site: http://terra.sistti.com.br/prociencia

O Pro-Ciência 2010 é um projeto da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais em convênio com a Unversidade Federal de Viçosa, que busca incentivar o ensino de Ciências e Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental. O intuito é o de capacitar professores para utilizar atividades experimentais em sala aula e auxiliar no desenvolvimento da linguagem oral e escrita, bem como no letramento científico e tecnológico dos estudantes.

Postado em: Escola é Manchete — guilhermebrasil @ 16:43

Aluna da rede estadual é primeiro lugar geral na UFMG

27/01/2010

Passar no vestibular é o sonho de praticamente todo estudante que se forma no Ensino Médio, se for em uma universidade pública conceituada, então, o sonho ganha importância extra. Para Natália Aparecida Fontana, da pequena cidade de Caeté, o sonho já virou realidade, e com um bônus. A adolescente de 18 anos, que estudou durante toda a vida na rede estadual de ensino, foi a primeira colocada geral no vestibular da UFMG. Natália formou-se em 2008 na Escola Estadual José Brandão e no ano passado dedicou-se em um cursinho pré-vestibular em Belo Horizonte. O desempenho acima da média nas provas e o bônus que obteve por ter sido aluna de escola pública garantiram outro feito memorável para a estudante: ela tirou a nota máxima no exame, feito nunca antes alcançado por nenhum outro vestibulando na história na UFMG.

Aprovada para o curso de Biomedicina, que terá sua primeira turma em 2010, Natália estava confiante de que teria um bom desempenho no Vestibular, mas o primeiro lugar geral surpreendeu até o parente mais otimista. “Eu estava esperançosa, porque não tive dificuldade em nenhum das etapas, mas às vezes eu pensava na concorrência e ficava com medo de não passar. O primeiro
lugar foi uma ótima surpresa”, conta Natália. Além dos cumprimentos dos amigos e do orgulho demonstrado nas ruas pelos conterrâneos, desde que o resultado foi divulgado a estudante vive momentos de fama. Os fim-de-semana foi marcado pelas entrevistas e fotos para os mais diversos jornais. “Não gosto muito dessa fama, porque eu sou meio tímida. Mas eu estou muito feliz”, revela Natália.

Natália foi aprovada no curso de Biomedicina da UFMG

Natália foi aprovada no curso de Biomedicina da UFMG

Escolas estaduais – Desde que começou a estudar, a trajetória estudantil de Natália se deu em escolas públicas, no município de Caeté. Os primeiros anos do Ensino Fundamental ela cursou na Escola Estadual Hélio Cerqueira Peixoto, da 5ª a 8ª série ela estudou na Escola Estadual Paulo Pinheiro da Silva e o Ensino Médio Natália fez na Escola Estadual José Brandão.  A mãe, Vilma do Carmo Fontana, foi professora das duas últimas instituições e sempre confiou no ensino e no bom desempenho da filha. “Eu sou professora e estou quase aposentando, então eu conhecia o trabalho das escolas. Se o aluno é empenhado, ele caminha bem. E a Natélia sempre foi muito inteligente, sempre tirou boas notas”, conta, com orgulho.

Na escola em que Natália cursou o Ensino Médio a satisfação pelo bom resultado também é grande. O diretor da Escola Estadual José Brandão, Antônio de Oliveira Silva Filho, esbanja orgulho pelo desempenho da ex-estudante. “Fico muito feliz porque é sinal de que o trabalho vem sendo executado de uma forma séria. Nossa escola é tradicional, é uma referência na cidade de Caeté e quando eu vejo esses frutos conseguindo amadurecer eu fico muito feliz no meu trabalho como educador. Todos da escola ficaram muito orgulhosos dela”, conta o professor.

Com 2.500 alunos, todos do Ensino Médio, a Escola Estadual José Brandão participa do projeto Escola Referência e do Projeto de Melhoria da Qualidade e Eficiência do Ensino Médio (Promédio). O projeto da Secretaria de Estado de Educação oferece aprofundamento de estudos para os estudantes e em 2009 mais de 90 alunos do 3º ano usaram o contra-turno das aulas para reforçar o conteúdo das aulas. Em 2010, estudantes do 1º e 2º anos também poderão participar do aproveitamento de estudos.

Postado em: Escola é Manchete — guilhermebrasil @ 09:34

UFMG abre inscrições para indígenas no vestibular regular

Estão abertas até dia 9 de fevereiro as inscrições para o Vestibular 2010 Funai/UFMG. Pela primeira vez a universidade abre vagas para indígenas em cursos regulares. Serão oferecidas 12 vagas, distribuídas em seis cursos: Ciências Biológicas, Ciências Sociais, Enfermagem, Medicina e Odontologia, em Belo Horizonte, e Agronomia, em Montes Claros. O processo seletivo que vai beneficiar os indígenas foi possível graças a um convênio que a UFMG assinou convênio com a Funai e com a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) do Ministério da Educação.

Para efetuar a inscrição, o interessado deve acessar a página da Comissão Permanente do Vestibular (Copeve), preencher um formulário e enviar documentação exigida no edital via sedex ou carta registrada com aviso de recebimento para avenida Antônio Carlos, 6627– Bairro Pampulha, Belo Horizonte/MG, CEP 31270-901. Serão aceitas somente as inscrições enviadas até dia 12 de fevereiro. Não será cobrada taxa de inscrição.

A relação dos candidatos com inscrições homolagadas e o local de provas será divulgada no dia 26 de fevereiro no site da Copeve. O comprovante definitivo de inscrição estará disponível na página da Copeve a partir do dia 28 do mesmo mês. Os exames vão acontecer no dia 07 de março, em Belo Horizonte. Os candidatos farão prova de múltipla escolha de conhecimentos gerais e uma redação em língua portuguesa. Além disso, a documentação enviada pelos candidatos será avaliada por uma comissão designada para este fim.

Outras informações na Secretaria da Formação Intercultural de Educadores Indígenas (Fiei) pelos telefones (31) 3409-6371 ou 3409-6368 ou na Copeve – (31) 3409-4408 / 3409-4409.

Postado em: Escola é Manchete — guilhermebrasil @ 06:41

Prazo para escolha de livros didáticos vai até a próxima sexta (29)

26/01/2010

As escolas públicas e entidades parceiras do programa Brasil Alfabetizado, terão até o dia 29 de janeiro de 2010 para escolherem os livros didáticos a serem utilizados por turmas de alfabetização de jovens e adultos, em 2010. De acordo com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o aumento do prazo vai ampliar a oportunidade de participação das escolas.

A escolha do livro didático é feita exclusivamente pela internet no site do FNDE . No próprio espaço virtual, professores e diretores recebem as orientações com dicas de uso e sigilo da senha de acesso ao sistema e o Guia do Livro didático, que apresenta detalhes sobre as obras aprovadas pelo Ministério da Educação (MEC) e disponíveis para a escolha por parte das escolas.

O Programa Nacional do Livro Didático para a Alfabetização de Jovens e Adultos (PNLA) foi criado para auxiliar no combate ao analfabetismo a partir dos 15 anos. Em 2009, o programa distribuiu 2,8 milhões de livros, em um investimento de R$18,8 milhões.  

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 16:36

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades