Jemg: Na velocidade máxima

12/08/2011

Na manhã desta sexta-feira (12-08), a rede estadual conquistou mais uma medalha nos Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg). Desta vez foi no atletismo. A aluna Dayane Perla de Oliveira Firmino, da Escola Estadual Doutor Norberto Custódio, em Cataguases, na Zona da Mata conquistou o bronze nos 100 metros- módulo II (15 a 16 anos). Com o tempo de 13,94 segundos, a estudante foi a representante das escolas estaduais no pódio. “É difícil ganhar, mas tenho conseguido. Na etapa regional, em Cataguases, eu conquistei duas medalhas de ouro e aqui uma de bronze. Estou muito feliz”, ressalta a estudante.

Aluna da rede estadual (rosa) conquista medalha de bronze no atletismo. Foto: Hudson Menezes ACS SEE

Aluna da rede estadual (rosa) conquista medalha de bronze no atletismo. Foto: Hudson Menezes ACS SEE

O professor de Dayane, conta que descobriu o talento da adolescente de 15 anos por acaso. “Na escola, os alunos já têm essa cultura do atletismo. Estava treinando com os meninos e Dayane participou desse treinamento. Quando vi, ela estava correndo mais rápido que os meninos”, lembra o professor de Educação Física, Paulo Roberto da Silva. Além de Dayane, outras 15 alunas da rede estadual participaram desta categoria do atletismo.

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 14:29

Jemg Equipe de vôlei da Escola Estadual Doutor Duarte Pimentel de Ulhoa busca o bi nos Jemg

11/08/2011

Apesar da pouca idade o time de voleibol da Escola Estatual Doutor Duarte Pimentel Ulhoa, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, já coleciona medalhas e posição importante entre as competições esportivas estudantis. Classificados para a etapa estadual dos Jogos escolares de Minas Gerais (Jemg), o time busca repetir o bom desempenho na competição do ano passado, quando foram os campeões do voleibol no módulo I (12 a 14 anos) e campeões nas Olimpíadas Escolares, também módulo I, competição esta que é nacional. “Com esse trabalho feito em 2010, nós saímos da primeira divisão, para a divisão especial nas Olimpíadas”, comenta orgulhoso o professor de Educação Física e Técnico da equipe, Deivid Schneider Rotta.

 Discussões nos intervalos em busca de táticas para o bi. Foto: Hudson Menezes ACS SEE

Para manter o bom desempenho nas competições, o time não perde tempo e treina muito. A escola possui uma parceria com um clube da cidade e utiliza as instalações do local para fazer os treinamentos com os atletas. As atividades ocorrem sempre no contraturno das aulas e são realizadas nesse clube desde 2006. “Nossa escola já possui a cultura do vôlei entre os alunos. Para o ano que vem temos outros estudantes querendo participar”, completa o professor.

Todo início de ano, a escola realiza uma seletiva entre os estudantes para saber quais farão parte do time. Da atual equipe, Gladstone Magalhães, de 14 anos, é o único atleta do time campeão de 2010. No alto de seus dois metros, o estudante também sonha grande e ve nos Jogos Escolares de Minas Gerais o primeiro passo para uma carreira promissora. “Estou no time há quatro anos e sonho em seguir carreira, ser um atleta profissional em um time de vôlei”, deseja o estudante.

Os cumprimentos antecedem as partipas rumo ao bi. Foto: Hudson Menezes ACS SEE

Enquanto o momento não chega, o foco deve ser a concentração nos jogos, sempre visando os bons resultados. “Nós treinamos bastante. Temos que chegar aqui e apresentar o que sabemos fazer que é jogar voleibol”, comenta Douglas Duarte que esta no time há um ano.

Para quem buscar ser bicampeão, o time começou bem, são três vitórias em três partidas. Para conquistarem o título eles precisam ganhar os próximos dois jogos da competição que vai até o próximo sábado (13-08).

Os Jogos Escolares de Minas Gerais são uma parceria entre a Secretaria de Estado de Educação e a Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude. A última fase da competição está sendo realizada em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira.

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 18:37

Estudantes promovem campanha de doação de sangue no sul do Estado

10/08/2011

Os alunos da Escola Estadual Doutor Joaquim Vilela, no município de Boa Esperança, na região sul de Minas, celebraram a semana em que se comemora o Dia do Estudante promovendo ações em prol da sociedade. Por meio de uma campanha de doação de sangue os jovens protagonistas, que participam do Programa Educacional de Atenção ao Jovem (Peas), visitaram quatro escolas estaduais da cidade e promoveram um Pit-stop na praça central para conscientizar as pessoas da importância da doação. “É importante que as pessoas aprendam que uma mão lava a outra. Hoje ela pode não estar precisando da doação, mas amanhã pode ser que precise. Por isso, é melhor começar ajudando hoje”, afirma a estudante do 2º ano do ensino médio, Bruna Miranda Lima, de 16 anos. 

As ações tiveram início na segunda-feira (08-08), quando os cerca de 30 estudantes do Peas assistiram a uma palestra com o bioquímico que foi o diretor do primeiro banco de sangue da cidade. Para a estudante do 2º ano do ensino médio, Camila Rosa, de 16 anos, a palestra foi muito esclarecedora. “A palestra foi muito boa. Ele falou muitas coisas que nós ainda não sabíamos. Eu ainda não posso doar, mas estou passando as informações para todos os meus familiares”. Já terça-feira (09-08) foi o dia do repasse do conhecimento adquirido na palestra. Os estudantes se dividiram em grupos e cada um ficou responsável por dar uma ‘palestra’ para os colegas das escolas estaduais do município, ação que trouxe muita satisfação para os estudantes. “É muito bom poder passar as informações para os nossos colegas. Na visita respondi a muitas dúvidas e acho que contribui bastante”, conclui Camila.

Estudantes fazem fila para participar da tipagem sanguínea. Foto. Arquivo escola

Estudantes fazem fila para participar da tipagem sanguínea. Foto. Arquivo escola

 Por meio de uma parceria entre a escola e a Secretaria Municipal de Saúde de Boa Esperança, foi feita, no início da manhã desta quarta-feira (10-08), a tipagem sanguínea dos alunos, professores e demais funcionários da instituição. Mas o auge da mobilização aconteceu na praça centra da cidade. “Foi muito bacana, nós praticamente paramos a cidade. Levamos faixas e um carro de som, que tocava músicas alusivas a campanha. Além disso, colamos adesivos nos carros que diziam: ‘Peas Juventude promove: campanha de incentivo a doação de sangue’. Mas o melhor é que muitas pessoas falaram que querem se tornar doadores”,ressalta a coordenadora do Peas da escola, Marli Chaves Moraes da Silva. Ainda segundo a docente, a escola será a responsável por fazer uma lista dos possíveis doadores e o Hemominas de Varginha irá abrir em um sábado para recebê-los.  

Para a coordenadora do Peas da escola, as ações são realizadas com o objetivo de despertar o espírito de solidariedade nos estudantes. “O principal objetivo do Peas é despertar nos alunos o espírito de solidariedade, já que pretendemos desenvolver na escola o projeto escola solidária, que vai tornar a instituição um local mais acolhedor melhorando cada vez mais o relacionamento com a comunidade escolar e com os alunos”. 

Com a ajuda de faixas, estudantes fazem mobilização na praça da cidade. Foto: Arquivo escola

Com a ajuda de faixas, estudantes fazem mobilização na praça da cidade. Foto: Arquivo escola

 

Postado em: Escola é Manchete — geaninenogueira @ 17:46

Jemg: De estudantes para estudantes

09/08/2011

De estudantes para estudantes
Durantes os dias de realização dos Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg), as mais de 190 pessoas alojadas, entre atletas, comissão técnica e acompanhantes, na Escola Estadual Mercedes Nery Machado, em Juiz de Fora, Zona da Mata, vão ter a oportunidade de conhecer um pouco da cidade anfitriã da fase estadual da competição, além de escutarem música e desfrutar de outros momentos de descontração. Esse trabalho foi elaborado pelos alunos da escola dentro de um projeto voltado para os Jogos Escolares. “Nós mostramos a nossa escola, falamos um pouco da cidade e o que pode ser encontrado aqui. Também fizemos cartazes de boas vindas que estão espalhados por todo o prédio”, explica a estudante Ana Paula de Souza Motta, de 14 anos.
Porém, a atenção aos atletas turistas não param por aí. Os dotes artísticos dos alunos da escola que serve de alojamento também serão apresentados para os atletas durante a semana. Entre as atrações culturais está a apresentação de violão de Rafael Gomes Martins de 14 anos. “Já toco violão a uns três anos e costumo me apresentar com minha banda de rock no festival de talentos da escola que acontece todos os anos. Agora é um público diferentes. São alunos de outras cidades, mas não fico com muita vergonha não, a não ser quando o público é muito grande”, admite o adolescente.
Durante o dia de realização dos jogos, os alunos da escola não terão aulas, mas receberam uma pesquisa para ser feita durante a semana das competições. “Pedimos que eles pesquisassem sobre as modalidades esportivas presentes nos Jemg. Na semana que vem, quando a aula voltar, os alunos vão apresentar o resultado desse trabalho”, comenta a supervisora pedagógica da escola, Eliane de Souza.
Uma campeã entre os alojados
Entre os estudantes alojados na escola, está uma das damas do xadrez, Ayana Hama. A aluna da Escola Estadual Geralda Eugênia da Silva, em São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, participa pelo quarto ano dos Jemg. Em 2010, ela foi a campeã no módulo I, destinado a estudantes de 12 a 14 anos. Agora, no módulo II, 15 a 17 anos, Ayana mantem a expectativa de bom desempenho. “Treinei um pouco jogando em casa com meus irmãos, mas têm várias outras pessoas preparadas. Vamos ver o que vai dar”, analisa a estudante.
Se depender da professora o bicampeonato já é garantia. “Ontem fomos a um supermercado e ela me perguntou por que eu estava comprando muitas balas. Então disse a ela, que era necessário, pois vê-la jogando me deixa aflita. Fico nervosa, mas se que ela vai bem”, admite a professora de Educação Física, Eunice Cordeiro.
No ano passado, com a premiação nos Jemg, Ayana Hama, teve a oportunidade de disputar os jogos escolares na fase nacional. A estudante ficou na sexta colocação entre os alunos brasileiro

Durante os dias de realização dos Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg), as mais de 190 pessoas alojadas, entre atletas, comissão técnica e acompanhantes, na Escola Estadual Mercedes Nery Machado, em Juiz de Fora, Zona da Mata, vão ter a oportunidade de conhecer um pouco da cidade anfitriã da fase estadual da competição, além de escutarem música e desfrutar de outros momentos de descontração. Esse trabalho foi elaborado pelos alunos da escola dentro de um projeto voltado para os Jogos Escolares. “Nós mostramos a nossa escola, falamos um pouco da cidade e o que pode ser encontrado aqui. Também fizemos cartazes de boas vindas que estão espalhados por todo o prédio”, explica a estudante Ana Paula de Souza Motta, de 14 anos.

Alunos da EE Mercedes Nery Machado recepcional atletas dos Jemg. Foto: Hudson Menezes

Porém, a atenção aos atletas turistas não param por aí. Os dotes artísticos dos alunos da escola que serve de alojamento também serão apresentados para os atletas durante a semana. Entre as atrações culturais está a apresentação de violão de Rafael Gomes Martins de 14 anos. “Já toco violão a uns três anos e costumo me apresentar com minha banda de rock no festival de talentos da escola que acontece todos os anos. Agora é um público diferentes. São alunos de outras cidades, mas não fico com muita vergonha não, a não ser quando o público é muito grande”, admite o adolescente.

Rafael Gomes Martins vai tocar violão animar os estudantes competidores; Foto: Hudson Menezes

Durante o dia de realização dos jogos, os alunos da escola não terão aulas, mas receberam uma pesquisa para ser feita durante a semana das competições. “Pedimos que eles pesquisassem sobre as modalidades esportivas presentes nos Jemg. Na semana que vem, quando a aula voltar, os alunos vão apresentar o resultado desse trabalho”, comenta a supervisora pedagógica da escola, Eliane de Souza.

Ayana Hama volta em 2011 para disputar o bicampeonato. Foto: Hudson Menezes

Uma campeã entre os alojados

Entre os estudantes alojados na escola, está uma das damas do xadrez, Ayana Hama. A aluna da Escola Estadual Geralda Eugênia da Silva, em São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, participa pelo quarto ano dos Jemg. Em 2010, ela foi a campeã no módulo I, destinado a estudantes de 12 a 14 anos. Agora, no módulo II, 15 a 17 anos, Ayana mantem a expectativa de bom desempenho. “Treinei um pouco jogando em casa com meus irmãos, mas têm várias outras pessoas preparadas. Vamos ver o que vai dar”, analisa a estudante.

Se depender da professora o bicampeonato já é garantia. “Ontem fomos a um supermercado e ela me perguntou por que eu estava comprando muitas balas. Então disse a ela, que era necessário, pois vê-la jogando me deixa aflita. Fico nervosa, mas se que ela vai bem”, admite a professora de Educação Física, Eunice Cordeiro.

No ano passado, com a premiação nos Jemg, Ayana Hama, teve a oportunidade de disputar os jogos escolares na fase nacional. A estudante ficou na sexta colocação entre os alunos brasileiros.

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 15:01

Conteúdos aprendidos em excursões escolares são apresentados em feira cultural

Os diferentes mistérios da ciência serão desvendados na IV Feira Cultural da Escola Estadual Antônio de Paula Dias, localizada no município de Piranga, regional central do Estado. Os estudantes irão destrinchar o tema central da mostra que é ‘O Enigma da Ciência’ e com a ajuda de vídeos, cartazes e maquetes irão apresentar para a comunidade escolar o fascinante universo do sistema solar, a preocupação com o desmatamento e do cuidado com os animais e a importância da higienização e de uma boa alimentação. Durante a feira a comunidade teve cesso aos trabalhos realizados pelos estudantes durante o primeiro semestre. Os alunos da escola foram divididos em grupos e cada um ficou responsável por um tema específico. O evento, que teve início hoje (09-08) encerra suas atividades amanhã (10-08).

A Feira está mobilizando cerca de 300 estudantes do ensino fundamental e médio. Para inspirar os alunos das turmas do 1º e 4º ano, que trabalham o tema: Água, higiene e alimentação, a escola realizou uma visita à Copasa. Durante a mostra, os estudantes estão apresentando vídeos da visita, que foram confeccionados por eles e pelos professores, e maquetes. Já os estudantes do 2º e 3º ano do ensino fundamental tiveram a oportunidade de se inspirar nos animais do zoológico de Belo Horizonte. Isso porque, o tema abordado por eles é o meio ambiente. Durante o evento, representantes da polícia ambiental levaram animais ameaçados de extinção empalhados e vivos para a mostra. A diretora da E. E. Antônio de Paula Dias, Cristiane Maciel Dias Silva, ressalta a importância das excussões para o desenvolvimento dos alunos. “A maioria dos estudantes não têm a oportunidade de sair do município para conhecer coisas novas. Por isso, todas as visitas são muito prazerosas para eles. A ida ao zoológico, então, foi muito aguardada e festejada”.

Estudantes do 2º e 3º ano do ensino fundamental retratam em maquete os animais que conheceram no zoológico de Belo Horizonte. Foto: Arquivo escola

Estudantes do 2º e 3º ano do ensino fundamental retratam em maquete os animais . Foto: Arquivo escola

O tema dos alunos do 5º ano é o sistema solar e eles reservaram uma surpresa para a comunidade escolar. Foi montado na escola o planetário móbile e a comunidade pôde aprender um pouco mais sobre o sistema solar de forma mais interativa e lúdica. Já o  assunto abordado pelos alunos do 6º ao 9º ano foi o desmatamento, erosões e vulcões. “Para a nossa apresentação construímos uma maquete, que com árvores, fábricas, casas e floresta. No momento da apresentação, iremos derramar água em um morro de terra para simbolizar o deslizamento de terra quando chove, por causa do desmatamento”, afirma a estudante do 8º ano, Camila Regina Dias, de 13 anos. A estudante ressalta ainda a importância da mostra para seu aprendizado. “Durante a preparação para a feira aprendi muitas coisas. Vimos como as indústrias contribuem negativamente para o aquecimento global e sabendo mais sobre o assunto podemos propor soluções”, conclui.

Alunos dão os últimos retoques em maquete que trabalha erosões e vulcões. Foto: Arquivo escola

Alunos dão os últimos retoques em maquete que trabalha erosões e vulcões. Foto: Arquivo escola

A professora de geografia da escola, Liliane de Souza Rezende, orientou o trabalho dos alunos do 8º ano e conta como foi a preparação para a feira. “Os alunos começaram o trabalho fazendo uma pesquisa sobre vulcões e erosões e depois deram início a montagem de maquetes e a construção de cartazes. Ensinar determinados conteúdos por meio de atividades mais lúdicas como a feira faz com que eles valorizem mais o que estão fazendo e fiquem mais empolgados”.

Os estudantes do ensino médio fizeram uma visita à usina de reciclagem da cidade e abordaram o tema na mostra. Na feira eles apresentam para a comunidade escolar  experiências voltadas para área de física e biologia, como a mudança de estados da água e abordaram o tema reciclagem.

Postado em: Escola é Manchete — geaninenogueira @ 14:08

Aluno de escola pública do centro-oeste mineiro vence concurso de empreendedorismo

04/08/2011

O jovem empreendedor Rafael Resende, de 18 anos, é estudante do 3º ano do ensino médio da Escola Estadual Santo Tomaz de Aquino, em Divinópolis, e um apaixonado pela Gestão Financeira. Além de se inspirar em seu pai, que administra pequenos negócios, o estudante teve a chance de testar seus conhecimentos e habilidades, pela primeira vez, dentro de sua escola, onde participava de um projeto no qual ele e um grupo de colegas tiveram a oportunidade de montar sua própria empresa. Para coroar seu esforço, Rafael conquistou o primeiro lugar de um prêmio organizado pela Junior Achievement em parceria com o Citi Foundation. O Concurso Saber Crescer, que tem por objetivo incentivar o espírito empreendedor dos jovens, contou com a participação de mais de 13 mil estudantes da rede pública de ensino de oito estados brasileiros.

Estudante de escola pública do centro-oeste mineiro participa de concurso que incentiva o espírito empreendedor dos jovens. Foto: Arquivo Pessoal

Estudante de escola pública do centro-oeste mineiro participa de concurso que incentiva o espírito empreendedor dos jovens. Foto: Arquivo Pessoal

A trajetória de conquistas de Rafael no campo das finanças teve início em 2010, quando ele foi escolhido em sua escola para participar de um projeto que envolvia a criação de uma mini-empresa. “Na ‘Esmata’ tive a chance de agir como um gestor. No início do processo nós ganhamos ações que tínhamos que vender. Foi com esse dinheiro que mantemos a empresa e montamos o produto final”, ressalta Rafael. Com o dinheiro que os cerca de 20 jovens conseguiram juntar, eles tinham que ‘pagar pequenas despesas’ da empresa. “Tínhamos, por exemplo, que pagar aluguel, conta de água, luz e telefone”. Durante o projeto, os estudantes receberam orientações de profissionais que já atuam no mercado de trabalho em diferentes áreas.

Para a conclusão do projeto, Rafael teve que construir um produto que pudesse ser vendido. Os estudantes criaram então a ‘Sacolart’, uma sacolinha de lixo feita com TNT, que deveria ser utilizada nos carros para colocar lixo. “Foi muito bacana a experiência. O grupo teve que se dividir e cada um ficou responsável por uma tarefa. Uns tiveram que cortar o TNT e os outros tiveram que fazer a colagem. Na hora de vender o produto eu fui um dos que mais se destacou e recebi uma premiação por isso”, afirma Rafael. Entre as escolas onde o projeto da mini-empresa foi implantado, E. E. Santo Tomaz de Aquino foi a que mais se destacou recebendo assim uma premiação da emprega idealizadora do projeto: a Guerdau, empresa multinacional líder na produção de aços longos nas Américas;

Após se destacar na venda da sacolinha, o estudante foi o vencedor do Concurso que reuniu alunos de escolas públicas de oito estados brasileiros. “A primeira parte do curso era composta por provas on-line sobre gestão financeira. Como minha colocação foi boa fui chamado para participar da etapa final, em São Paulo. Lá eu fiz provas de múltipla escolha, participei de um jogo de perguntas e respostas, assisti a palestras e fui o estudante que mais conseguiu reunir pontos”. Para se preparar para a competição Rafael utilizou o que aprendeu na escola e na internet e assistiu a vídeos que foram postados no site do concurso. O estudante também dedicava cerca de duas horas do seu dia para os estudos de gestão.

Rafael Resende recebe prêmio após conquistar pimeiro ligar do Concurso Saber Crescer. Foto: Arquivo Pessoal

Rafael Resende recebe prêmio após conquistar pimeiro ligar do Concurso Saber Crescer. Foto: Arquivo Pessoal

Além de prêmios, segundo Rafael, sua experiência na área de gestão financeira rendeu-lhe conhecimento. “Aprendi muitas coisas boas. As palestras me ensinaram sobre como administrar minhas dívidas, orçamento, finanças pessoais, entre outras coisas. Além disso, meus professores já me elogiaram e disseram que a minha postura melhorou na hora de apresentar trabalhos”.

Depois de uma trajetória exitosa na área de finanças alguém dúvida da carreira que Rafael que ser seguir quando se formar?

Postado em: Escola é Manchete — geaninenogueira @ 18:43

Grupo de Stand Up Comedy leva o bom humor a alunos de Uberaba

02/08/2011

Os alunos da Escola Estadual Quintiliano Jardim, localizada em Uberaba, tiveram nesta terça-feira (02-08) uma aula diferente. Eles tiveram a oportunidade assistir a uma apresentação de Stand Up Comedy, que vai ajudá-los a se inspirarem para o show de talentos da escola que acontece em outubro. A visita do grupo ‘Três Caras – A melhor banda de stand up comedy musical do Brasil’ aconteceu graças a um projeto do Ministério da Cultura em parceria com o Ministério da Educação (MEC), que pretende beneficiar alunos da rede pública de cerca de 100 escolas de 85 cidades brasileiras, é o que explica o diretor da instituição José Ronan Borges. “No final do ano passado fiz a inscrição da escola no site do MEC e este ano a equipe entrou em contato conosco para marcar a data da apresentação. Eles fazem três apresentações na escola, uma em cada turno. Os alunos estão adorando e se divertindo muito”.

Alunos da Escola Estadual Quintiliano Jardim se divertem em apresentação

Alunos da Escola Estadual Quintiliano Jardim se divertem em apresentação

Segundo o integrante da banda, Alessandro Ribeiro, a proposta do grupo é resgatar risos. “Nossa única missão é levar mais alegria para as escolas e proporcionar aos estudantes, que muitas vezes não têm a oportunidade de ir a um teatro, o acesso a uma cultura diferente”. Em suas apresentações o grupo aborda temas do cotidiano com muito bom humor. Na E.E. Quintiliano Jardim, os artistas conseguiram alcançar seu objetivo. O estudante do 3º ano do ensino médio, Maicon Silva Ribeiro, aprovou a apresentação. “Achei muito bom. Eles são muito divertidos e por meio das brincadeiras que propõe nos ajuda a interagir cada vez mais com os nossos colegas”.

Banda de Stand Up Comedy faz apresentação em escola de Uberaba

Banda de Stand Up Comedy faz apresentação em escola de Uberaba

 A apresentação do grupo ‘Três Caras’ poderá ser utilizada pelos estudantes como inspiração para o show de talentos da escola, que conta com apresentações de dança, canto, teatro, entre outros. Além disso, poderá ajudar na montagem de outras iniciativas da instituição como o Projeto Afro, que trabalha a cultura afro brasileira com todas as turmas da escola de forma interdisciplinar. Entre as apresentações que os estudantes fazem estão as referentes a dança, religião, comida e vestuário da cultura afro brasileiro.

 A escola também desenvolve projetos como o Mini Congresso Geo-Político, no qual os alunos do ensino médio escolhem temas diversos para serem trabalhados durante todo o ano sob a monitoria dos professores. No final do ano, os eles apresentam um artigo sobre o tema escolhido para toda a comunidade escolar. A instituição também promove uma feira de conhecimento da área de exatas. Os trabalhos são todos elaborados pelos alunos durante as aulas de química e física.

Postado em: Escola é Manchete — geaninenogueira @ 21:00

Poesia nossa de cada dia

01/08/2011

Várias padarias do Barreiro estão trazendo para seus clientes um alimento diferente. Além do pão de cada dia, os moradores da região levam para casa alimentos para o conhecimento: arte e poesia. É que os sacos de pães carregam, além dos pãezinhos, poemas escritos por alunos de escolas públicas da região. Os estudantes são protagonistas em 250 mil embalagens de papel ecologicamente corretas. Os temas utilizados pelos pequenos escritores vão desde a queda do dente de uma colega de turma até a importância da poesia. Os limites para as criações dos poetas-estudantes foram suas próprias imaginações. Entre as escolas onde o projeto ‘Pão e Poesia’ foi desenvolvido está a Escola Estadual Duque de Caxias. Os poemas foram todos produzidos em 2010 e alguns estudantes já mudaram de escola, mas a atividade ficou na memória. “Eu achei muito legal quando vi o meu texto no saquinho de pão. Ele ficou muito bonito e deixou o saquinho diferente daqueles que nós vemos todos os dias. Fiz um poema pensando no meu primo, que ainda é um bebê”, afirma o ex-aluno da Duque de Caxias, Raniel Adriano de Souza Araújo, de 11 anos, que fez o poema abaixo:

‘Brincadeira com poema
Eu quero fazer
E ensinar meu primo
Que ainda é bebê’

Diretora da Escola Estadual Duque de Caxias, Maria Eliza Mendes de Almeida Resende, entrega embalagens as padarias do Barreiro. Foto: Arquivo escola

Diretora da Escola Estadual Duque de Caxias, Maria Eliza Mendes de Almeida Resende, entrega embalagens nas padarias do Barreiro. Foto: Arquivo escola

Além das homenagens feitas pelos estudantes, o ‘Pão e Poesia’ leva para diversas casas anseios dos pequenos poetas. A estudante Vanessa Reis, de 11 anos, escreveu sobre sua preocupação com a poluição do planeta. “O professor pediu para escrevermos um texto sobre o meio ambiente. Escrevi sobre a poluição porque é um tema muito importante”. Mas a preocupação não impediu que Vanessa ficasse emocionada quando viu seu texto exposto em locais aos quais muitas pessoas terão acesso. “Quando recebi o saquinho que tinha meu poema mostrei para toda a minha família e eles acharam muito legal. É muito bom saber que várias pessoas terão acesso a ele”, afirma a mãe de Vanessa, orgulhosa do poema de título ‘Urgente’.

Urgente
‘Vou falar agora
De um assunto urgente
E isso é muito ruim pra gente
Vou falar agora
Da poluição
Isso dói no coração

E agora vou falar
Pra finalizar
Se não cuidar
O bicho vai pegar’

E não foram apenas os pequenos poetas que ficaram felizes ao ver seus textos publicados. Além de orgulhosos, os pais e familiares fizeram questão de mostrar para os amigos as ‘obras’ dos pequenos. “Fiquei muito emocionada quando tive acesso ao embrulho que tinha o texto da Vanessa. Ela sempre gostou de ler e escrever e tem o costume de criar poemas para os tios. Já mostrei os saquinhos para todo mundo, vou guardar não só o dela como os dos coleguinhas dela também”, afirma a mãe da estudante, Fabiana Reis Pereira de Oliveira.

Nas padarias a novidade agradou. Segundo o operador de caixa de uma padaria do Barreiro, Adair Lopes Morais, os textos fizeram sucesso entre os clientes. “Já li algumas poesias e elas são muito bonitas. Os fregueses estão gostando muito. Eles sempre querem levar embalagens com poemas diferentes”.

Moradores aprovam ideia de embalagens recheadas com poema. Fotos: Arquivo da escola.

Moradores aprovam ideia de embalagens recheadas com poema. Fotos: Arquivo da escola.

Projeto
O Projeto ‘Pão e Poesia’ foi criado por uma pessoa que se denomina um ‘esparramador de poemas’. “Desde a minha adolescência tinham mania de escrever as letras das músicas das quais gostava e dar para os meus amigos. Queria que eles sentissem a mesma emoção que eu sentia quando tinha acesso aos textos”, ressalta Diovanni Mendonça. A ideia de criar o Projeto nasceu de uma conversa entre amigos. A principio seriam impressas nos saquinhos de pão apenas os poemas de Diovanni, mas devido a magnitude do projeto nas primeiras edições os embrulhos traziam textos de autores de todos os estados brasileiros e alguns até internacionais. Para o ‘Esparramador,’ a iniciativa é uma forma de doar arte para as pessoas de uma forma democrática. “Ao mostrar para os estudantes a magia dos poemas nós estamos renovando o público que gosta de poesia. Isso também acontece quando uma pessoa vai à padaria comprar um pão e leva consigo um brinde, os poemas”, concluiu.

O ‘Pão e Poesia’ está em sua 3ª edição. Desde que o Projeto foi criado já foram distribuídas cerca de 700 mil embalagens. Antes de criar seus próprios poemas, os estudantes participaram de oficinas de sensibilização poética oferecidas por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. Em 2010, as oficinas foram apresentadas para mais de 400 alunos de 10 escolas localizadas próximas à V&M do Brasil, patrocinadora do projeto.

Postado em: Escola é Manchete — geaninenogueira @ 19:12

Escola leva arte à população de Cambuquira, no Sul de Minas

29/07/2011

O coral e a fanfarra da Escola Estadual Clovis Salgado, em Cambuquira – Sul de Minas, vão se apresentar às 9 horas do  próximo domingo (31/07),  no Parque das Águas. Os grupos são conhecidos entre os 13 mil moradores da região por serem compostos por músicos, em sua maioria estudantes dos anos finais do ensino fundamental e ensino médio. Quem assistir as apresentações vai ter a oportunidade de escutar obras primas da música clássica e da música popular brasileira. “É um momento de alegria porque neste ano, em que comemoramos o centenário da escola, também conseguimos revitalizar o nosso coral e a reativar a nossa fanfarra que é a menina dos olhos da escola e conta com cerca de 40 integrantes. Nela os estudantes aprendem a tocar instrumentos como o trombone e o sopro”, destaca a vice-diretora, Glória Auxiliadora Doval Baltar.

Com mais de dez anos de existência, o Coral, que atualmente conta com 30 alunos, é uma das ações desenvolvidas dentro do Programa Educacional de Atenção ao Jovem (Peas Juventude), junto à fanfarra. Dentro da temática ‘Mundo de Trabalho e Perspectiva de Vida’, os estudantes têm a oportunidade de participarem de diversas atividades voltadas à área musical, como a oficina de canto, na qual aprendem técnicas vocais e as aulas de partituras. “Em agosto, nós vamos dar continuidade aos nossos trabalhos com a equipe do coral e da fanfarra. Vamos realizar oficinas de teoria musical, linguagens e orientação profissional”, adianta a vice-diretora.

Coral da Escola Estadual Clovis Salgado se apresenta no Prque das Águas neste domingo. Foto: Arquivo da Escola

As oficinas serão realizadas com o recurso de custeio encaminhado pelo Peas Juventude. Já com o repasse para aquisição de material permanente, a escola vai comprar estante para as partituras e mesa de som, além de um notebook, que vão auxiliar nas apresentações do coral. Uma delas já tem data marcada.  O Encontro de Corais de Cambuquira que será realizado em novembro.

Entre os participantes do coral, está o aluno do 3º ano do ensino médio, Evandro Fonseca de Castro Borges. Integrante do Peas desde 2009, ele atua este ano como voluntário do Programa. Entre atividades que exercem estão a de pianista no coral e a de auxílio na coordenação das atividades que é realizada com cerca de 90 estudantes. “Procuro atuar como um multiplicador do que aprendo com o projeto dentro da escola”, explica.

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 15:36

Praça vira sala de cinema no município de Muriaé

As praças normalmente são conhecidas por serem locais de convivência entre as pessoas. No distrito de Itamuri, em Muriaé, elas também ganham status de cinema. Os aproximadamente 4900 habitantes têm a oportunidade de assistir a filmes durante o mês de julho. O projeto ‘Cinema na Praça’ é desenvolvido pela Escola Estadual Coronel Francisco Gomes Campos. Para anunciar as seções à população, os alunos fazem visitas às casas e produzem cartazes que auxiliam na divulgação do evento. Às 19 horas desta sexta-feira (29/07), será exibido o filme ‘Morte e Vida Severina’, de Zelito Viana, na Praça do Rosário, que fica em frente à escola.

Na hora do filme, a concentração é total em Muriaé. Foto: Arquivo da Escola

“Nossa comunidade é pequena e a escola é o único prédio público que ela tem para um momento de lazer. É uma ação lúdica, cultural e socialmente importante. No começo, nossos alunos ficam no cantinho, mas depois eles se entrosam e também interagem com a comunidade”, destaca a diretora da escola, Maria das Graças Antunes. Na semana passada, os habitantes de Muriaé puderam assistir ao filme ‘Bee Movie’, com direção de Steve Hickner e Simon J. Smith.

A exibição dos filmes é feita nas praças do muninípio. Foto: Arquivo da Escola

Para a exibição dos filmes a escola conta com o apoio de uma mineradora da região. “Nós escolhemos filmes que têm a ver com nosso dia-a-dia. O ‘Morte e Vida Severina’, por exemplo, conta a história de um personagem que deixa sua cidade para tentar a vida em outro lugar”, lembra a estudante do 1º ano do ensino fundamental, Giovana Gomes Procópio.

A execução do projeto conta com a participação de aproximadamente 50 alunos que integram o Programa Educacional de Atenção ao Jovem (Peas Juventude). Dentro do Programa, os estudantes desenvolvem atividades na área de ‘Adolescência e Cidadania’. “Tá todo mundo muito empolgado com o Peas. As pessoas gostam, adoram. Aqui não temos lazer e o projeto ajuda demais. Comecei este ano e não quero sair mais não, muito bom”, completa a estudante.

Postado em: Escola é Manchete — hudsonmenezes @ 15:28

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades