Aluna vence concurso literário e é motivo de Orgulho em Rubim

10/11/2009

Thaís Nunes, aluna do 1° ano do Ensino Médio da Escola Estadual Walmir Almeida Costa, é motivo de orgulho não só para a instituição, mas também para Rubim, distrito de Almenara, em Minas Gerais. 

A estudante foi uma das vencedoras do IV Concurso das Minibibliotecas na categoria de Ensino Fundamental e Ensino Médio, promovido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa. A Empresa, em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Social e Combate à fome, disponibiliza a montagem de pequenas bibliotecas em escolas públicas, com livros referentes a estudos sobre a  agricultura. A escola sempre participa do concurso, mas essa é a primeira vez em que conquista o prêmio principal. 

Aluna vencedora do concurso, Thaís Nunes

Aluna vencedora do concurso, Thaís Nunes

A aluna escreveu sobre a importância do conhecimento. Ela conta como o conhecimento das técnicas da agricultura é importante para fazer uso adequado de recursos naturais e relata também o interesse que os agricultores e produtores locais tiveram em aprender novas técnicas. Sobre ser a ganhadora do prêmio, ela descreve: “foi uma emoção enorme, minha família ficou extremamente feliz ”, diz.

Segundo a diretora Glacira Aranha Aguilar, Thaís foi merecedora do prêmio. “Foi mais que merecido ela ganhar. Foi também um incentivo a mais para ela fazer um curso superior”, ressalta. Quando perguntada sobre o futuro profissional, Thaís responde: “pretendo fazer Engenharia Civil ou Administração e vou tentar ganhar uma bolsa de estudos em alguma faculdade”, afirma.  

O evento de premiação ocorreu em Brasília, no dia 22 de outubro, e Thaís foi para a capital federal de avião, algo que nunca havia experimentado antes na vida. A sensação de andar de avião pela primeira vez foi emocionante, segundo ela “deu um friozinho na barriga quando o avião estava subindo”. Sobre a cerimônia de premiação, Thaís afirma que foi muito interessante. “Foi bom demais. Tanta gente importante lá. Nunca imaginei que ganharia o concurso”, fala, empolgada.

Alunos recebem prêmio da Embrapa

Alunos recebem prêmio da Embrapa

O prêmio foi recebido com alegria pela escola. “A reação foi excelente. Alguns ex-diretores ligaram para parabenizar”, conta Glacira. Segundo ela, com o prêmio, os outros alunos ficaram interessados em participar de outros concursos, incentivando, assim, o gosto pela leitura.

Postado em: Uncategorized — admin @ 10:47

Inscrições abertas para Graduação Tecnológica na PUC Minas

A PUC Minas está com as inscrições abertas até o dia 16 de novembro para os cursos de graduação tecnológica, que têm duração de dois anos e meio. Os interessados podem se inscrever somente pelo site www.pucminas.br/tecnologos/2010_01/. O valor das inscrições depende da escolha do candidato. Se escolher fazer a prova da universidade, deverá pagar R$ 40,00 de inscrição. Se optar pela nota do Enem, irá pagar R$ 20,00. O exame será realizado no dia 13 de dezembro no local escrito no Cartão de Informação, que será enviado pelos Correios. Os cursos oferecidos são: Agronegócios, Comunicação Assistiva (Libras e Braile), Geoprocessamento, Gestão Financeira, Jogos Digitais e Logística.

Postado em: Uncategorized — admin @ 06:18

Minas Gerais ganha medalhas em Olimpíadas Escolares

09/11/2009

Minas Gerais já deixou a sua marca nas Olimpíadas Escolares 2009, disputadas nas cidades de Maringá e Londrina, no Paraná. Até agora, a delegação mineira já conquistou 11 medalhas, todas nas modalidades judô e natação. Uma prata e um bronze ficaram por conta de estudantes da rede estadual. Amanda Ribas, da E.E.Governador Milton Campos, levou a prata na categoria meio-médio e Bruno Assis, da E.E. Ordem e Progresso, ficou com o bronze na categoria meio-pesado.

Minas Gerais ganha as primeiras medalhas nas Olimpíadas Escolares

Minas Gerais ganha as primeiras medalhas nas Olimpíadas Escolares

No xadrez, Maicon Ferreira dos Santos, da E.E. Coronel Manoel Soares do Couto chegou a brigar pelo ouro, mas acabou ficando em quinto lugar na classificação geral. Para o técnico de Maicon, Luís Marcos de Oliveira, a competição valeu pela experiência. “Crescemos muito no xadrez e temos um longo caminho a percorrer. No sul do país o xadrez é tradição nas escolas e, portanto, o nível da competição é bastante elevado”, disse Luís, referindo-se ao campeão da modalidade, que é do RS.

Já no futsal a E.E. Nelson de Sena, de Governador Valadares, perdeu a semifinal para o Colégio Evolutivo, do Ceará, por 4 a 2. Com o resultado, a equipe mineira vai disputar a medalha de bronze nesta quarta-feira.

(Com informações e foto de Marcus Cicarini)

Postado em: Uncategorized — admin @ 13:12

Prorrogadas inscrições para Vestibular de cursos à distância

A UFMG prorrogou até o dia 11 de novembro as inscrições para o Vestibular 2010 para os cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas e Licenciatura em Química, na modalidade Educação a Distância do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). Para efetuar a inscrição, os interessados devem acessar a página da Comissão Permanente do Vestibular (Copeve), a taxa é de R$ 80,00. São disponibilizadas 500 vagas, divididas igualmente entre cinco polos no estado: as cidades de Araçuaí, Frutal, Governador Valadares, Montes Claros e Teófilo Otoni (Região do Vale do Mucuri). Os professores da rede pública têm prioridade, já que têm direito a 250 das 500 vagas, as outras 250 são destinadas ao público em geral. Confira aqui a nota completa. Outras informações pelo telefones (31) 3409-4189 ou (31) 3409-4476

Postado em: Uncategorized — admin @ 11:37

Cultivo de bons hábitos na E.E José Amâncio dos Santos

Uma parte do terreno da Escola Estadual José Amâncio dos Santos, em Igarapé, virou extensão da sala de aula. É ao ar livre que os estudantes desenvolvem o projeto “Cerca Viva”, que propôs a criação da horta da escola. Sob a supervisão dos professores, cada uma das 20 turmas é responsável por um canteiro da horta, onde cultivam diferentes variedades de vegetais, como abobrinha, tomate, pés de alface, beterraba, entre várias outras. Mas, além da diversidade, a horta chama atenção por outro motivo: a cerca de garrafas Pet.
Criada pelos próprios alunos, a cerca se estende por 50 metros e utiliza por volta de 350 garrafas, que foram coletadas na escola. Os próprios estudantes ajudaram na construção. A ideia dessa iniciativa era utilizar um material nocivo ao meio ambiente como matéria-prima para uma ação que promove o bom uso da terra. “A cerca não machuca, é bonita e tem a durabilidade de mais ou menos cem anos. Além disso, os alunos aprenderam a utilizar, de uma forma útil, as garrafas vazias”, explicou a vice-diretora da escola e responsável pelo projeto “Cerca Viva”, Sirlene da Silva Reis. “Alguns lugares em que você passa no bairro já têm uma cerquinha de Pet. O pessoal gostou da ideia”, completou.
Sob a proteção da cerca de garrafas pet, a horta vai de vento em popa. Os vegetais foram plantados há poucas semanas, e alguns já começam a crescer. A ideia é utilizá-los na merenda escolar, mas, mais que isso, fazer com que os alunos tirem boas lições do projeto. “Eles aprendem aqui na escola e levam para casa. O nosso interesse é que eles cultivem a própria horta, que ensinem para os pais as técnicas de plantio”, conta Sirlene.
Lucas Ferreira dos Santos Duarte, 10 anos, já aplicou a lição em casa. O estudante pediu ao pai algumas mudas de suas hortaliças favoritas e já deu início à sua hortinha particular. “Eu fiz um canteirinho e plantei couve, alface, cebolinha e algumas outras. Estão começando a crescer”, conta, empolgado. A horta de Lucas ainda não tem cerca, mas o garoto já faz planos de usar a ideia da escola para enfeitar a sua pequena plantação. “Eu nunca tinha visto cerca de garrafa Pet. É muito bonita. Estou pensando em fazer uma pequenininha para a minha horta”, disse.

Uma parte do terreno da Escola Estadual José Amâncio dos Santos, em Igarapé, virou extensão da sala de aula. É ao ar livre que os estudantes desenvolvem o projeto “Cerca Viva”, que propôs a criação da horta da escola. Sob a supervisão dos professores, cada uma das 20 turmas é responsável por um canteiro da horta, onde cultivam diferentes variedades de vegetais, como abobrinha, tomate, pés de alface, beterraba, entre várias outras. Mas, além da diversidade, a horta chama atenção por outro motivo: a cerca de garrafas Pet.

Estudantes fazem pose ao lado da cerca de garrafas que ajudaram a construir

Estudantes fazem pose ao lado da cerca de garrafas que ajudaram a construir

Criada pelos próprios alunos, a cerca se estende por 50 metros e utiliza por volta de 350 garrafas, que foram coletadas na escola. Os próprios estudantes ajudaram na construção. A ideia dessa iniciativa era utilizar um material nocivo ao meio ambiente como matéria-prima para uma ação que promove o bom uso da terra. “A cerca não machuca, é bonita e tem a durabilidade de mais ou menos cem anos. Além disso, os alunos aprenderam a utilizar, de uma forma útil, as garrafas vazias”, explicou a vice-diretora da escola e responsável pelo projeto “Cerca Viva”, Sirlene da Silva Reis. “Alguns lugares em que você passa no bairro já têm uma cerquinha de Pet. O pessoal gostou da ideia”, completou.

Sob a proteção da cerca de garrafas pet, a horta vai de vento em popa. Os vegetais foram plantados há poucas semanas, e alguns já começam a crescer. A ideia é utilizá-los na merenda escolar, mas, mais que isso, fazer com que os alunos tirem boas lições do projeto. “Eles aprendem aqui na escola e levam para casa. O nosso interesse é que eles cultivem a própria horta, que ensinem para os pais as técnicas de plantio”, conta Sirlene.

Horta da escola já começa a crescer rica em variedade

Horta da escola já começa a crescer rica em variedade

Lucas Ferreira dos Santos Duarte, 10 anos, já aplicou a lição em casa. O estudante pediu ao pai algumas mudas de suas hortaliças favoritas e já deu início à sua hortinha particular. “Eu fiz um canteirinho e plantei couve, alface, cebolinha e algumas outras. Estão começando a crescer”, conta, empolgado. A horta de Lucas ainda não tem cerca, mas o garoto já faz planos de usar a ideia da escola para enfeitar a sua pequena plantação. “Eu nunca tinha visto cerca de garrafa Pet. É muito bonita. Estou pensando em fazer uma pequenininha para a minha horta”, disse.

Postado em: Uncategorized — admin @ 06:20

Competição de leitura aproxima os estudantes dos livros

08/11/2009

Ziraldo, Ruth Rocha, Ana Maria Machado, Pedro Bandeira. Esses e muitos outros autores são alguns dos aliados de estudantes de sete escolas estaduais de Belo Horizonte no hábito da leitura. Participantes do projeto “Ler é Viver”, organizado pelo Instituto Gil Nogueira, mais de 2700 alunos estão descobrindo a importância dessa prática e o gosto pelas letras. O Instituto oferece um baú com livros para cada turma das sete escolas. Ao final de cada semestre, os estudantes são avaliados, e os leitores mais assíduos recebem prêmios. A premiação deste semestre acontece no dia 23 de dezembro, e não faltam candidatos ávidos para receber o prêmio.
No primeiro semestre de 2009, 724 estudantes foram premiados. E as categorias de premiação variam de acordo com a disciplina do leitor. Ganha bronze quem lê  de cinco a nove livros, prata de 10 a 14, ouro para quem ler mais de 15 e o prêmio maior, o cobiçado diamante, fica com o estudante que ler mais livros na escola. Como foi o caso de Luisa Karine Gonzaga de Oliveira, 10 anos. Na primeira metade do ano, a estudante da Escola Estadual Sílvio Fonseca leu todos os 32 livros disponíveis no baú da sua turma de 5º ano. “Eu demorei mais ou menos um mês e meio para ler todos. Quando acabou o período do projeto, eu tinha acabado de ler os livros, então, eu aproveitava para relembrar as histórias”, conta a estudante.
Para fazer jus ao prêmio, cada estudante tem que contar a história dos livros que leu, além de fazer fichamentos. E para manter as histórias vivas na memória, todos têm a sua tática. Luísa, após a leitura de cada livro, aproveita a ocasião para dividir o que aprendeu com todos na sua casa. “Eu chego aqui, vou para o quarto da minha mãe e fico fazendo de conta que estou contando para alguém. Leio cada livro umas 3 vezes e depois faço o resumo para o papel. Depois eu ainda conto para a minha mãe, meu pai e para a minha priminha Maria Clara”, conta satisfeita. No primeiro semestre, Luisa ganhou um microsistem como prêmio pela assiduidade e quer repetir o feito agora. O período de avaliações dos estudantes começou em novembro, e faltam alguns livros para a garota finalizar todos os novos 32 títulos,  mas, mais do que o prêmio, Luísa já conquistou muito mais no baú de livros. “Eu vou querer fazer Educação Física quando eu crescer, mas também quero escrever histórias”, conta a estudante.
O ânimo dela não  é exceção. Segundo Nilda Aparecida Guedes da Silva, professora de Luísa, os outros alunos do 5º ano também se tornaram leitores assíduos – a maioria leu mais de 15 livros no semestre. E o gosto pela leitura se reflete nas demais atividades em sala de aula. “Como a gente faz um trabalho de resumo do livro, eu senti o desenvolvimento das crianças na interpretação, ortografia, escrita, além da leitura. Também é bom porque ensina a criança a ter responsabilidade com o livro, já que ela tem que devolvê-lo”, explica a professora.
Contação de histórias
O projeto “Ler É Viver” não se limita ao empréstimo de livros às escolas e à premiação dos alunos. O incentivo à leitura passa por atividades lúdicas, como a contação de histórias. Anita Maria Machado Rocha é contadora há quatro anos e faz visitas semanais às escolas. Os temas são escolhidos de acordo com a faixa etária, mas, seja qual for a idade dos alunos, a atividade é uma ótima chance de dar vida às histórias que os estudantes leem nos livros. “Existem várias maneiras de contar, mas eu gosto da dramatização. Eu coloco bigode, vestido, chapéu. Tiro de um tudo do meu baú de acessórios. Eu procuro adequar as histórias à linguagem deles, e assim a gente vai se entendendo”, explica a contadora.
Aposentada como psicóloga, Anita tem a chance de visitar as escolas com frequência e já  pôde perceber o impacto da contação nos estudantes. Ela explica que o processo aproxima os alunos dos livros. “Quando eu conto, eu mostro o livro, falo do autor, e os meninos começam a imaginar os personagens. A contação facilita a criação do imaginário”, explica.
Participam do projeto “Ler é Viver” a E.E Geraldina Soares, a E.E Mário Casassanta, E.E Olímpia Resende, E.E. Nossa Senhora Aparecida, E.E. Pedro Dutra, E.E. João Maria Koyman, E.E. Sílvio Fonseca, além da Associação Esportiva BHTennis de Ação Social.

Ziraldo, Ruth Rocha, Ana Maria Machado, Pedro Bandeira. Esses e muitos outros autores são alguns dos aliados de estudantes de sete escolas estaduais de Belo Horizonte no hábito da leitura. Participantes do projeto “Ler é Viver”, organizado pelo Instituto Gil Nogueira, mais de 2700 alunos estão descobrindo a importância dessa prática e o gosto pelas letras. O Instituto oferece um baú com livros para cada turma das sete escolas. Ao final de cada semestre, os estudantes são avaliados, e os leitores mais assíduos recebem prêmios. A premiação deste semestre acontece no dia 23 de dezembro, e não faltam candidatos ávidos para receber o prêmio.

No primeiro semestre de 2009, 724 estudantes foram premiados. E as categorias de premiação variam de acordo com a disciplina do leitor. Ganha bronze quem lê  de cinco a nove livros, prata de 10 a 14, ouro para quem ler mais de 15 e o prêmio maior, o cobiçado diamante, fica com o estudante que ler mais livros na escola. Como foi o caso de Luisa Karine Gonzaga de Oliveira, 10 anos. Na primeira metade do ano, a estudante da Escola Estadual Sílvio Fonseca leu todos os 32 livros disponíveis no baú da sua turma de 5º ano. “Eu demorei mais ou menos um mês e meio para ler todos. Quando acabou o período do projeto, eu tinha acabado de ler os livros, então, eu aproveitava para relembrar as histórias”, conta a estudante.

Estudantes participam de ação do projeto "Ler é Viver"

Estudantes participam de ação do projeto "Ler é Viver"

Para fazer jus ao prêmio, cada estudante tem que contar a história dos livros que leu, além de fazer fichamentos. E para manter as histórias vivas na memória, todos têm a sua tática. Luísa, após a leitura de cada livro, aproveita a ocasião para dividir o que aprendeu com todos na sua casa. “Eu chego aqui, vou para o quarto da minha mãe e fico fazendo de conta que estou contando para alguém. Leio cada livro umas 3 vezes e depois faço o resumo para o papel. Depois eu ainda conto para a minha mãe, meu pai e para a minha priminha Maria Clara”, conta satisfeita. No primeiro semestre, Luisa ganhou um microsistem como prêmio pela assiduidade e quer repetir o feito agora. O período de avaliações dos estudantes começou em novembro, e faltam alguns livros para a garota finalizar todos os novos 32 títulos,  mas, mais do que o prêmio, Luísa já conquistou muito mais no baú de livros. “Eu vou querer fazer Educação Física quando eu crescer, mas também quero escrever histórias”, conta a estudante.

Alunos mergulham na história e exercitam a imaginação

Alunos mergulham na história e exercitam a imaginação

O ânimo dela não  é exceção. Segundo Nilda Aparecida Guedes da Silva, professora de Luísa, os outros alunos do 5º ano também se tornaram leitores assíduos – a maioria leu mais de 15 livros no semestre. E o gosto pela leitura se reflete nas demais atividades em sala de aula. “Como a gente faz um trabalho de resumo do livro, eu senti o desenvolvimento das crianças na interpretação, ortografia, escrita, além da leitura. Também é bom porque ensina a criança a ter responsabilidade com o livro, já que ela tem que devolvê-lo”, explica a professora.

Contação de histórias

O projeto “Ler É Viver” não se limita ao empréstimo de livros às escolas e à premiação dos alunos. O incentivo à leitura passa por atividades lúdicas, como a contação de histórias. Anita Maria Machado Rocha é contadora há quatro anos e faz visitas semanais às escolas. Os temas são escolhidos de acordo com a faixa etária, mas, seja qual for a idade dos alunos, a atividade é uma ótima chance de dar vida às histórias que os estudantes leem nos livros. “Existem várias maneiras de contar, mas eu gosto da dramatização. Eu coloco bigode, vestido, chapéu. Tiro de um tudo do meu baú de acessórios. Eu procuro adequar as histórias à linguagem deles, e assim a gente vai se entendendo”, explica a contadora.

Contação de histórias estimula o interesse dos alunos pelos livros

Contação de histórias estimula o interesse dos alunos pelos livros

Aposentada como psicóloga, Anita tem a chance de visitar as escolas com frequência e já  pôde perceber o impacto da contação nos estudantes. Ela explica que o processo aproxima os alunos dos livros. “Quando eu conto, eu mostro o livro, falo do autor, e os meninos começam a imaginar os personagens. A contação facilita a criação do imaginário”, explica.

Participam do projeto “Ler é Viver” a E.E Geraldina Soares, a E.E Mário Casassanta, E.E Olímpia Resende, E.E. Nossa Senhora Aparecida, E.E. Pedro Dutra, E.E. João Maria Koyman, E.E. Sílvio Fonseca, além da Associação Esportiva BHTennis de Ação Social.

Postado em: Uncategorized — admin @ 12:00

E.E Menino Jesus de Praga sedia 1ª Etapa do Circuito Mineiro de Xadrez Escolar 2009/2010

07/11/2009

E.E Menino Jesus de Praga sedia 1ª Etapa do Circuito Mineiro de Xadrez Escolar 2009/2010
Cerca de 150 alunos de todo o estado vão participar da 1ª Etapa do Circuito Mineiro de Xadrez Escolar 2009/2010, que será realizado no próximo sábado, dia 07/11, na Escola Estadual Menino Jesus de Praga, em Venda Nova-BH. Participam do campeonato estudantes dos ensinos Fundamental e Médio. Os vencedores serão premiados com troféus (para os primeiros lugares) e medalhas (do 2º ao 10º lugar). A programação conta com um Congresso Técnico e solenidade de abertura às 9h30. As rodadas de xadrez começam a partir das 10 horas. A competição, que é dividida em categorias obedecendo ao ano escolar dos candidatos, vai até as 17 horas.
Na edição de 2008, alunos de todo o estado participaram do circuito
A Escola Estadual Menino Jesus de Praga vai sediar o evento pelo segundo ano consecutivo. Porém, de acordo com o professor de Geografia, Luis Marcos de Oliveira, a prática do jogo na escola tem mais de dez anos. Ele destaca que, além da autoconfiança e autoestima, o xadrez também é utilizado como uma importante ferramenta pedagógica no aprendizado dos alunos. “O ponto forte do xadrez é a concentração. O raciocínio lógico se desenvolve muito. E tem outra coisa: com o jogo, os alunos aprendem a diferenciar adversário de inimigo”, explica Luis Marcos, que também dá aula de xadrez duas vezes por semana na escola. Cerca de 50 alunos da escola vão participar do campeonato na edição de 2009/2010.
A infraestrutura para os jogos é outro ponto forte da escola. Aproximadamente 35 mesas e 82 lugares vão ser destinados à competição. O material foi adquirido com recursos do projeto Escola Viva, Comunidade Ativa, da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. “Com toda certeza, nós temos o maior espaço para o xadrez que existe em Minas Gerais”, garante o professor, que destaca que o circuito já revelou nomes como o do atual campeão mineiro de xadrez, Maicon Ferreira dos Santos, estudante da Escola Estadual Coronel Manoel Soares do Couto.
Infraestrutura é ponto forte da escola para sediar a competição
A Escola Estadual Menino Jesus de Praga é uma das 105 escolas de Belo Horizonte que fazem parte do Escola Viva, Comunidade Ativa. O projeto procura proporcionar a tranquilidade e as condições básicas de educabilidade no ambiente escolar para que o processo de ensino-aprendizagem aconteça nas escolas que se encontram em áreas urbanas, com população em situação de vulnerabilidade social e sujeita a índices expressivos de violência. Em toda Minas Gerais, 502 escolas da rede estadual fazem parte do projeto.

Cerca de 150 alunos de todo o estado vão participar da 1ª Etapa do Circuito Mineiro de Xadrez Escolar 2009/2010, que será realizado no próximo sábado, dia 07/11, na Escola Estadual Menino Jesus de Praga, em Venda Nova-BH. Participam do campeonato estudantes dos ensinos Fundamental e Médio. Os vencedores serão premiados com troféus (para os primeiros lugares) e medalhas (do 2º ao 10º lugar). A programação conta com um Congresso Técnico e solenidade de abertura às 9h30. As rodadas de xadrez começam a partir das 10 horas. A competição, que é dividida em categorias obedecendo ao ano escolar dos candidatos, vai até as 17 horas.

Na edição de 2008, alunos de todo o estado participaram do circuito

Na edição de 2008, alunos de todo o estado participaram do circuito

A Escola Estadual Menino Jesus de Praga vai sediar o evento pelo segundo ano consecutivo. Porém, de acordo com o professor de Geografia, Luis Marcos de Oliveira, a prática do jogo na escola tem mais de dez anos. Ele destaca que, além da autoconfiança e autoestima, o xadrez também é utilizado como uma importante ferramenta pedagógica no aprendizado dos alunos. “O ponto forte do xadrez é a concentração. O raciocínio lógico se desenvolve muito. E tem outra coisa: com o jogo, os alunos aprendem a diferenciar adversário de inimigo”, explica Luis Marcos, que também dá aula de xadrez duas vezes por semana na escola. Cerca de 50 alunos da escola vão participar do campeonato na edição de 2009/2010.

Aproximadamente 35 mesas e 82 lugares vão ser destinados à competição. O material foi adquirido com recursos do projeto Escola Viva, Comunidade Ativa, da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. “Com toda certeza, nós temos o maior espaço para o xadrez que existe em Minas Gerais”, garante o professor, que destaca que o circuito já revelou nomes como o do atual campeão mineiro de xadrez, Maicon Ferreira dos Santos, estudante da Escola Estadual Coronel Manoel Soares do Couto.

Infraestrutura é ponto forte da escola para sediar a competição

Infraestrutura é ponto forte da escola para sediar a competição

A Escola Estadual Menino Jesus de Praga é uma das 105 escolas de Belo Horizonte que fazem parte do Escola Viva, Comunidade Ativa. O projeto procura proporcionar a tranquilidade e as condições básicas de educabilidade no ambiente escolar para que o processo de ensino-aprendizagem aconteça nas escolas que se encontram em áreas urbanas, com população em situação de vulnerabilidade social e sujeita a índices expressivos de violência. Em toda Minas Gerais, 502 escolas da rede estadual fazem parte do projeto.

Postado em: Uncategorized — admin @ 12:09

Olimpíadas Escolares 2009

06/11/2009

Parte da delegação mineira nas Olimpíadas Escolares 2009

Parte da delegação mineira nas Olimpíadas Escolares 2009

A delegação mineira estreia nesta sexta-feira nas Olimpíadas Escolares 2009. Composta por 139 atletas de escolas públicas e particulares, a delegação reúne os campeões dos Jogos Escolares de Minas Gerais. As escolas da rede estadual têm representantes em todas as modalidades que já estão sendo disputadas, exceto na natação. As primeiras competições serão nas modalidades futsal, judô e xadrez, disputadas na cidade de Maringá, e outras duas, handebol e natação, que serão disputadas em Londrina. As demais modalidades, como basquete, tênis de mesa e atletismo terão início apenas no dia 09 de novembro.As Olimpíadas Escolares terminam no dia 15 de novembro e vão definir os campeões nacionais de cada modalidade entre 15 e 17 anos. Os resultados das competições podem ser acompanhados no site www.olimpiadasescolares.com.br

(Com colaboração de Marcus Cicarini/IBDEEC)

Postado em: Uncategorized — admin @ 13:23

Livro vira tema de gincana na EE Joaquim Gomes

Despertar nos jovens o gosto pela leitura é uma tarefa que exige criatividade, mas também parceria. Esses critérios não foram poupados pela Escola Estadual Joaquim Gomes, em Coronel Fabriciano, que conseguiu envolver cerca de 70 alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio na primeira gincana literária que aconteceu no último sábado, 31/10. O livro Crepúsculo, sucesso entre os adolescentes, foi o tema da atividade. A sugestão da obra, que narra a história de amor impossível entre uma jovem e um vampiro, veio dos próprios alunos. “Os meninos estavam com o livro na ponta da língua. A iniciativa de incentivar a leitura deu cem por cento certo”, avalia a professora de português, Meirilene Pontes após o término da gincana.

A competição que ocorreu entre as 7h e 11h30 movimentou professores, alunos e familiares que foram conferir o desempenho dos estudantes nas atividades de interpretação do livro. Segundo a estudante do 1° ano do Ensino Fundamental, Larisse Francieli Duarte Lima, “foi muito interessante participar e conhecer outros gêneros da literatura. Vou continuar lendo os outros livros da série”. 

Os alunos foram divididos em equipes de até 12 participantes, e as tarefas incluíam perguntas sobre o livro, provas-relâmpago durante a brincadeira, montagem de um mural com fotos e informações da obra, apresentação de uma cena do livro, escolha do nome da equipe (que devia ser relacionado com o tema da publicação e a escolha do nome foi explicado) e postagem no blog da escola de comentários sobre a gincana e o livro. As equipes foram julgadas por uma comissão composta por professores, funcionários da escola e convidados. Como prêmio para os vencedores, foram entregues ingressos para o filme Lua Nova, baseado na obra. 

A equipe “Fruto proibido” foi a vencedora da gincana que movimentou a EE Joaquim Gomes

A equipe “Fruto proibido” foi a vencedora da gincana que movimentou a EE Joaquim Gomes

 Segundo a professora, “o objetivo da escola é promover a leitura e formar bons leitores. Os alunos estão empolgados com os outros volumes do livro e já estão à procura nas livrarias”. Para a estudante do 9° ano do Ensino Fundamental, Amanda Rodrigues Assis Vasconcelos, a gincana proporcionou também trabalho em equipe: “foi muito bom porque teve a participação de todos. O trabalho em grupo trouxe harmonia”, diz.
 

A saga Crepúsculo tem cinco volumes – Crepúsculo, Lua Nova, Amanhecer, Eclipse e Sol da Meia Noite – e já é sucesso também nos cinemas.

A gincana da escola foi realizada no último sábado, 30/10, e teve a participação das turmas do 9° ano do Ensino Fundamental e do 1° ano do Ensino Médio. A gincana conseguiu tornar a leitura fonte de prazer, despertando o desejo e interesse desses jovens leitores.

Postado em: Uncategorized — admin @ 06:56

Universidade Federal de Juiz de Fora aumenta prazo para inscrição do vestibular 2010

05/11/2009

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) prorrogou o prazo para as inscrições do vestibular 2010 e Programa de Ingresso seletivo Misto – Pism. Os interessados vão ter até as 15 horas da próxima quarta-feira, 11/11/09, para efetuarem suas inscrições. A mudança na data, que seria segunda-feira, 09/11, deve-se à coincidência com o quinto dia útil do mês, utilizado por empresas e órgãos públicos como data para o pagamento de empregados. O edital de retificação nº 3 e o formulário de inscrição podem ser obtidos na página do vestibular da universidade: www.vestibular.ufjf.br

Postado em: Uncategorized — admin @ 18:00

SEE|
Rod. Pref. Amrico Gianetti, s/n - B.: Serra Verde - BH/MG - Prdio Minas /11 Andar - CEP 31630-900 - Tel.: (31) 3916-7000
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades